Grupo de Beneficiamento do Coco

VOLTAR


A ideia do beneficiamento do coco, surgiu quando um grupo dacomunidade participou do processo de Formação de um projeto executado peloCETRA, o  A ideia do beneficiamento do coco, surgiu quando um grupo da comunidade participou do processo de Formação de um projeto executado pelo  CETRA (Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador), o FLORESTAÇÃO. Foram 3 anos de execução desse projeto, com processos formativos e de práticas.

Nesse processo o grupo precisava  definir algo que fosse ficar de concreto para a comunidade, algo que gerasse renda partindo da agricultura, que beneficiasse algo presente na comunidade. Assim foi escolhido o Coco, fruto bem presente na comunidade. Eles/as foram beneficiados com uma pequena unidade para beneficiamento do óleo de coco. No início o material era compartilhado entre Sitio Coqueiro e a comunidade indígena Tremembé. Passou pouco tempo eles desistiram e a gente ficou com o material e desde então estamos trabalhando firmes e fortes. Dessa maneira o grupo hoje é formado por jovens e mulheres que se reúnem semanalmente para fazer a produção do óleo tanto extra virgem como dele cozido, ainda fazemos cocada, farinha de coco, coco ralado e esfoliante para o rosto.
Esses produtos são comercializados todas as quarta-feiras na feira agroecológica e solidária de Itapipoca e toda primeira sexta na feira agroecológica e solidária de Fortaleza. E ainda em feiras e eventos que o grupo é convidado. A assistência técnica ocorre por conta do CETRA através de visitas. A feira tem apoio do CETRA. 
As feiras são em diversos municípios do Ceará: Feira Agroecológica e Solidária - FORTALEZA - Toda primeira sexta-feira do mês na sede do CETRA Fortaleza, das 15h às 18h.rua Capitão Gustavo, 3842 - São João do Tauape; Feira Agroecológica e Solidária - ITAPIPOCA. Toda quarta-feira na praça da matriz a partir das 6h.; Feira Agroecológica e Solidária - APUIÁRES. Toda quarta-feira na praça da matriz a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - PARACURU. Quinzenalmente às sextas-feiras na praça da matriz a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - PURÃO (TRAIRI). Todo segundo domingo de cada mês, a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - TRAIRI. Quinzenalmente, às quartas-feiras, na praça José Granja Ribeiro, a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - SOBRAL. Toda segunda quinta-feira do mês, na praça de Cuba (esquina das ruas General Tibúrcio e Viriato de Medeiro), a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - COMUNIDADE SÃO JOÃO DOS QUEIROZ (QUIXADÁ).Todos os sábados na praça da Igreja, a partir das 7h.; Feira Agroecológica e Solidária - PEDRA BRANCA. Todas as sextas-feiras no Galpão da Agricultura Familiar, a partir das 7h.; Feira da Agricultura Familiar de QUIXERAMOBIM. Todas as quartas-feiras no Galpão da Agricultura Familiar a partir das 6h.; Feira Agroecológica do Espaço Antônio Conselheiro - QUIXERAMOBIM. Última sexta-feira do mês no Espaço Antônio Conselheiro (IAC), a partir das 16h. Rua Desembargador Américo Militão, 410, Centro. Feira acompanhada pelo Instituto Antônio Conselheiro - IAC.; Feira Agroecológica e Solidária de TURURU. Praça da matriz, todas as últimas sextas-feiras de cada mês, das 7h às 10h.; Feira Agroecológica e Solidária de SERROTA (PENTECOSTE). Toda sexta-feira, na rua Santa Rita s/n, das 6h às 10h.; Feira Agroecológica e Solidária de ARACATIAÇU (SOBRAL). Primeira quinta-feira de cada mês na praça Monsenhor Odilon Marinho de Pinho (rua Coronel Francisco - Centro), a partir das 6h.; Feira Agroecológica e Solidária de TAPERUABA (SOBRAL). Toda última sexta-feira do mês, na praça Nossa Senhora do Carmo (av. Nossa Senhora do Carmo, s/n, Centro), das 7h às 12h. Como são muitas feiras, é difícil estimar quantas pessoas.