Projeto Saúde Comunitária Vale do Taquari RS

VOLTAR


As atividades dos Grupos de Saúde Comunitária envolvem mulheres decomunidades rurais e urbanas, agentes comunitários de saúde, estudantes do turno inverso de uma escola municipal e o público beneficiário do Centro de referência de assistência social, os encontros são mensais ou bimensal. A proposta é melhorar a qualidade de vida das famíliasatravés da segurança e soberania alimentar e nutricional, saúde preventiva,resgate do saber popular sobre as plantas medicinais, agroecologia e farmáciacaseira. São realizados planejamentos participativos, com levantamento de temase necessidades específicas de cada grupo. A partir deste são elaborados osmateriais formativos e oficinas práticas a serem desenvolvidos ao longo do ano,retornando com avaliação e planejamento para os temas do próximo período. O foco das atividades é resgatar e valorizar conhecimentos populares que as comunidades tem sobreplantas medicinais e aliar a novos conhecimentos sobre o assunto. Resgatar evalorizar os hábitos alimentares e buscar novos conhecimentos na área dealimentação saudável. Buscar soluções comunitárias para problemas de saúde nacomunidade, através da criação de hortos medicinais e farmácias caseiras. Realizar oficinas práticas de alimentação saudável, integral e orgânica. Realizar oficinas práticas de farmácia caseira. Promover encontros entre osgrupos para trocas de experiências.  Incentivar a segurança alimentar dasfamílias através da diversificação das hortas e pomares domésticos. Incentivar o uso das técnicas agroecológicas (conhecimentos teóricos epráticos) para a produção de alimentos. Informar as consequências do usoindiscriminado de agrotóxicos na produção de alimentos e os riscos à saúdehumana e meio ambiente. Atualmente o saúde comunitária conta com 25 grupos, onde 8 destes são grupos de beneficiários do CRAS. A abrangência envolve 4 municípios, Cruzeiro do Sul,  Paverama, Westfália, Teutônia.

Anexos

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Não
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Estudantes
  • Profissionais de saúde
  • Educadoras/es
  • Agricultoras/es urbanas/os
Qual(is) a(s) identidade(s) do(s) grupo(s) social(is) e coletivo(s) que participa(m) da construção desta experiência?
Grupos de mulheres da Ordem auxiliadora das senhoras evangélicas -OASE/ Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; Mulheres agricultoras e mulheres urbanas; Agentes Comunitários de Saúde dos municípios de Teutônia e Cruzeiro do Sul; Estudantes do turno inverso da Escola Dom Pedro I - Teutônia; Público assistido pelo Centro de referência de assistência social-CRAS de Westfália
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Se há um sexo com maior participação, indique
Feminino
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • Até 6 anos
  • De 7 a 14 anos
  • De 15 a 29 anos
  • De 30 a 60 anos
  • Acima de 60 anos
Se há uma faixa etária com maior participação, indique
Acima de 60 anos

Redes em saúde e agroecologia

De que forma sua organização poderia colaborar na criação e/ou fortalecimento dessas redes?
Divulgando a agroecologia e o saúde comunitária com a  proposta de produção limpa de alimentos levando a segurança e soberania alimentar e nutricional, valorização do uso das plantas medicinais, da farmácia caseira, da organização comunitárias e dos cuidados e promoção da saúde.

Políticas públicas

Caso a experiência tenha acessado uma ou mais políticas públicas brasileiras, indique
Nenhuma

Práticas em saúde e agroecologia

Práticas Agroalimentares (produção/beneficiamento/consumo)
  • Adubação verde
  • Quintais sócio-produtivos (horticultura, pomar, etc.)
  • Casa ou guardiães/ões de sementes
  • Plantas alimentícias não convencionais (PANCs)
Prácticas Integradas y complementarias en Salud
Plantas medicinais e fitoterapia
Práticas Populares e Tradicionais de Cuidado em Saúde ou Saúde Popular
  • Dietas alimentares
  • Remédios caseiros a partir de plantas medicinais
Esta práctica es considerada una tecnología social por los protagonistas de la experiência?
Sim
O que estimula a adoção dessa(s) prática(s)?
  • Intercâmbio/vivência
  • Rodas de conversa e oficinas

Resistências e ameaças

Algo ameaça esta experiência?
Sucessão geracional frágil ou inexistente
Há conflito(s) ambiental(is) no(s) território(s) onde essa experiência acontece?
Não

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Facebook/Messenger
  • Whatsapp/Telegram

Arquivo e/ou link relacionado às produções/práticas da experiência

Tipo de anexo
Vídeo

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Cuidado em saúde

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Regional intermunicipal

Duração da experiência

1 Impacto da Pandemia da Covid-19

Essa é uma experiência criada em resposta aos efeitos da crise sanitária decorrente da pandemia do Coronavírus (Covid-19)?
Em parte, a experiência já acontecia mas houve ajustes devido à pandemia