Extensão Inovadora em Modelos Sustentáveis de Produção: Sistemas Agroflorestais e Manejo de Produtos Florestais Não-madeireiros

VOLTAR

O presente projeto está sendo realizado em duas regiões do Estado de São Paulo - a área modelo, que será a Região do Vale do Ribeira, e a área foco, que será os Assentamentos da Floresta Nacional (FLONA) de Ipanema, região de Sorocaba, município de Iperó/SP. O projeto objetiva resgatar conhecimentos e experiências em sistemas de produção ou desenvolvimento (Sistemas Agroflorestais e Manejo de Produtos Florestais Não Madeireiros) rural sustentável na Região do Vale do Ribeira/SP, organizá-los e traduzi-los de modo a torná-los acessíveis a todo e qualquer cidadão, em especial aos agricultores familiares da região, e de outras regiões do Estado que possa ter estas experiências como referência. Objetiva ainda, promover uma troca de conhecimentos entre agricultores familiares das duas regiões envolvidas, de modo que a experiência da área modelo (Vale do Ribeira) possa ser aproveitada na área foco (Sorocaba - Iperó) facilitando o início da implantação de modelos alternativos de produção, baseados em critérios agroecológicos, na mesma. Este projeto parte da percepção das dificuldades enfrentadas no estabelecimento de um trabalho de extensão rural voltado à agroecologia que seja capaz de gerar a disseminação de experiências e aprendizados de forma eficaz e autônoma, ampliando assim o público potencialmente atingido por estas ações. Seu objetivo principal é a criação de uma proposta metodológica inovadora de ATER, voltado a apoiar a transição agroecológica no Assentamento Ipanema, que gere a efetiva participação e comprometimento da comunidade. Serão implantadas áreas modelo de SAFs voltados a diferentes finalidades, e exemplos de uso sustentável de Produtos Florestais Não-Madeireiros (PFNM). Pretende ainda, promover a formação de agentes de ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural) em modelos de sistemas de produção rural sustentável, pois conta com a parceria dos principais órgãos que atuam em ATER no Estado de São Paulo. Após a conclusão do projeto e em decorrência do mesmo, espera-se que as condições de qualidade de vida e segurança alimentar das famílias dos agricultores familiares do assentamento melhorem substancialmente, com a possibilidade de replicação das áreas piloto que começa nesta fase a serem implantadas no projeto. Além disso, espera-se que o projeto represente o início das ações de recuperação e até, adequação ambiental do assentamento, o que certamente permitirá sua melhor integração com a Unidade de Conservação, FLONA de Ipanema/ICMBIO, onde se encontra inserido. Os resultados do projeto poderão incentivar também agricultores familiares de municípios vizinhos, a iniciar o processo de transição do paradigma de produção baseado em monocultivos para modelos de produção sustentável. Desta maneira, o relatório aqui apresentado tem por objetivo demonstrar as atividades que estão sendo desenvolvidas em pouco mais de um ano da execução do projeto “Extensão Inovadora em Modelos Sustentáveis de Produção: Sistemas Agroflorestais e Manejo de Produtos Florestais Não-madeireiros. Os objetivos do projeto pretendem: • Estabelecer um sistema participativo de gestão; • Gerar mecanismos para disponibilização e apropriação do conhecimento pelos atores envolvidos, em SAF (sistemas agroflorestais) e manejo de PFNM (produtos florestais não-madeireiros) e; • Contribuir para os sistemas de ATER (assistência técnica e extensão rural) com modelos aplicados a realidades locais, em sistemas sustentáveis de uso da terra. Para a melhor execução do projeto, as atividades pretendem levar em consideração o planejamento participativo, a partir do estabelecimento de um diálogo e intervenção que procure aproximar e facilitar a compreensão dos agricultores no que se refere à proposta do projeto. alguns dos resultados que são esperados, sendo: ? A iniciação do processo de adequação ambiental do assentamento, a partir da recuperação das áreas degradadas dos lotes, estabelecendo a adoção de novas práticas pelos assentados; ? Que a forma de intervenção, metodologias a partir do planejamento participativo, possa ser instrumento para uma assistência técnica e extensão rural diferenciada (não apenas como prestação de serviço aos agricultores), inovadora, a partir da intervenção de técnicos como facilitadores de desenvolvimento coletivo, levando em consideração a questão fundamental de gênero; ? Que a partir dos resultados alcançados, com o envolvimento de pessoas e das parcerias estabelecidas, seja potencializado este trabalho, o que poderá subsidiar outros projetos para os demais assentamentos da região e; ? Que este projeto possa ser instrumento de políticas públicas com relação à conservação ambiental, a partir do manejo de Produtos Florestais Não-Madeireiros (PFNM), da recuperação de áreas degradadas com a implementação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e que, possam fomentar o processamento e a comercialização de tais produtos no futuro. É importante trazer as famílias trabalhadas para uma reflexão, a partir da sensibilização trabalhada desde o início que, um planejamento deve considerar o equilíbrio e que este deve respeitar a questão ambiental e ecológica, sem deixar de observar a importância econômica e social, não esquecendo que esta gestão depende do comprometimento de cada um.

Anexos