Recuperação de saberes e práticas populares em saúde com uso de plantas medicinais

VOLTAR

A experiência contou inicialmente com rodas de conversa com integrantes da Associação Comunitária para escolha de uma temática de pesquisa a partir da demanda de um projeto de tese da Universidade Federal do Ceará. Partindo-se de uma proposta metodológica em pesquisa participante, membros locais consideraram necessário criar um grupo com pessoas interessadas na temática \"Recuperação de Saberes Populares sobre o Uso de Plantas Medicinais Locais\". Assim, o Coletivo de Pesquisa Bem Viver da comunidade rural Lagoa dos Cavalos foi constituído em 2017. Um conjunto de metodologias foi utilizado a partir das problemáticas identificadas e interesses apresentados ao longo da pesquisa. Inicialmente construímos um questionário a ser realizado com 24 mulheres-guardiãs dos saberes das plantas. O grupo de pesquisadores se dividiu para coleta das informações com uso de metodologias advindas da etnobotânica. A doutoranda era responsável pela sistematização dos materiais de coleta, porém buscávamos que a participação fosse horizontal e dialógica. Posteriormente à construção do inventário de saberes, realizamos caminhadas transversais junto a agricultores-guardiões dos saberes da mata nativa para encontrar espécies previamente identificadas pelas mulheres, coleta e identificação científica em Herbário da UFC. Um conjunto de técnicas da etnobotânica foram aplicadas desde a coleta à identificação. Esta pesquisa levou à necessidade de produção de uma cartilha de plantas locais para disseminação de saberes na região. A partir dessa experiência de sensibização-pesquisa-ação as famílias passaram a produzir, consumir e valorizar a medicina popular, reduzindo o uso intensivo de remédios alopáticos, assim como criado alternativas de trocas, como feiras de trocas de mudas e sementes. Metodologias como intercâmbio em quintais produtivos do entorno e rodas de conversa com feirantes da cidade de Russas também compuseram o leque de ferramentas metodológicas. Atualmente, o Coletivo tem se fortalecido e buscado alternativas locais para aprofundamento do campo de saberes e práticas de saúde do campo, com ênfase à dimensão do conhecimento, construindo projetos e participando de editais para promoção da saúde e da agroecologia. Esta experiência nos ensina como uma pesquisa engajada socialmente e em diálogo horizontal com a comunidade tem contribuído com a criação de alternativas agroecológicas, recuperação da autoestima de lideranças, fortalecimento das relações de convivência em harmonia com a natureza e ressignificação das perdas territoriais e violência psicológica desde o conflito socioambiental instaurado em 2008 e que até hoje um conjunto de direitos humanos fundamentais são violados pelos órgãos públicos. A experiência tem contribuído com a renda local a partir de projeto aprovado de ação emergencial em tempos de pandemia. Este projeto aprovado tem favorecido os agricultores locais a produzirem alimentos para compor cestas básicas, favorecendo diretamente com a economia local e com a segurança alimentar de famílias em vulnerabilidade social. Acreditamos que os caminhos até agora têm mostrado que as plantas não apenas têm componentes bioativos, mas têm contribuído fortemente com a reparação socioambiental comunitária.

Anexos

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Não
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
Agricultoras/es familiares/camponeses
Qual(is) a(s) identidade(s) do(s) grupo(s) social(is) e coletivo(s) que participa(m) da construção desta experiência?
Caatingueiros
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Se há um sexo com maior participação, indique
Feminino
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • De 30 a 60 anos
  • De 15 a 29 anos
Se há uma faixa etária com maior participação, indique
De 30 a 60 anos

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Facebook/Messenger
  • Whatsapp/Telegram

Arquivo e/ou link relacionado às produções/práticas da experiência

Tipo de anexo
Imagem

Duração da experiência

1 Impacto da Pandemia da Covid-19

Essa é uma experiência criada em resposta aos efeitos da crise sanitária decorrente da pandemia do Coronavírus (Covid-19)?
Em parte, a experiência já acontecia mas houve ajustes devido à pandemia

Redes em saúde e agroecologia

De que forma sua organização poderia colaborar na criação e/ou fortalecimento dessas redes?
Solidariedade entre povos e populações tradicionais; Publicização ampliada da sistematização da pesquisa do Coletivo de Pesquisa Bem Viver sobre uso de plantas medicinais " Plantas Medicinais, Conhecimentos Populares em Saúde e Luta por Terra: Uma cartilha em defesa da vida"; Socialização de experiências metodológicas que contribuíram com a recuperação da memória biocultural;

Identificação

O describa es el nombre de la organización que registra la experiencia
Coletivo de Pesquisa Bem Viver

Identificação do tipo experiência

Selecione o tipo de experiência
Cuidado em saúde

Localização e abrangência espacial

Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Local

Resistências e ameaças

Algo ameaça esta experiência?
  • Sucessão geracional frágil ou inexistente
  • Outra
  • Disputa territorial ou dificuldade de acesso ao território
  • Agrotóxico
  • Transgênico
  • Contaminação/poluição ambiental
Qual outra?
Governo Federal (DNOCS); Cultura da biomedicina hospitalocêntrica
Há conflito(s) ambiental(is) no(s) território(s) onde essa experiência acontece?
Sim
Indique o(s) município(s) e respectiva(s) Unidade(s) Federativa(s) onde acontece o conflito
Minicípio Russas, Ceará
Grupo(s) social(is) atingido(s) pelo conflito ambiental
Agricultor(a) familiar
Actividades generadoras del conflicto
  • Perímetros irrigados
  • Agrotóxicos
  • Atuação de entidades governamentais
  • Atuação do Judiciário e/ou do Ministério Público
  • Monoculturas
  • Extrativismo predatório
  • Transgênicos
Impactos Socio-ambientales de las actividades
  • Alteração no ciclo reprodutivo da fauna
  • Alteração no regime tradicional de uso e ocupação do território
  • Assoreamento de recurso hídrico
  • Contaminação ou intoxicação por substâncias nocivas
  • Desertificação
  • Exploração no trabalho
  • Desmatamento
  • Erosão do solo
  • Falta/irregularidade na autorização ou licenciamento ambiental
  • Falta/irregularidade na demarcação de território tradicional
  • Falta de saneamento básico
  • Invasão/dano a área protegida ou unidade de conservação
  • Mudanças climáticas
  • Poluição de recurso hídrico
  • Poluição atmosférica
  • Poluição do solo
  • Precarização/riscos no ambiente de trabalho
Possíveis danos à saúde decorrentes da atividade e/ou do conflito
  • Acidentes
  • Alcoolismo e/ou uso problemático de outras drogas
  • Contaminação ou intoxicação por agrotóxicos
  • Contaminação química
  • Falta de atendimento médico
  • Doenças transmissíveis
  • Insegurança alimentar e nutricional
  • Obesidade
  • Piora na qualidade de vida
  • Violência psicológica/assédio
  • Doenças não transmissíveis ou crônicas
  • Doenças respiratórias
A experiência aqui cadastrada está envolvida nesse(s) conflito(s) ambiental(is)?
Sim, a experiência contribui para o enfrentamento do conflito

Práticas em saúde e agroecologia

Prácticas Integradas y complementarias en Salud
Plantas medicinais e fitoterapia
Práticas Populares e Tradicionais de Cuidado em Saúde ou Saúde Popular
Outra
Qual outra?
Recuperação e preservação da memória biocultural dos saberes populares com uso de plantas medicinais
Esta práctica es considerada una tecnología social por los protagonistas de la experiência?
Sim
O que estimula a adoção dessa(s) prática(s)?
Ancestralidade/trajetória de vida/memória afetiva