Curso de Especialização Técnica em Saúde Ambiental para a População do Campo

VOLTAR


Os objetivos do projeto contemplam a convergência deáreas de conhecimento (formação em saúde ambiental para os movimentos sociaisdo campo tendo como eixo os determinantes sociais da saúde) ainda poucodesenvolvida, o que faz com que o projeto tenha sido pioneiro nos seusresultados.
A organização curricularelaborada, resultado do projeto, foi objeto de desdobramento em novasexperiências de curso com parcerias com outras instituições;
O contato com váriasinstituições na construção do Curso, em eventos científicos e na 1ª ConferênciaNacional de Saúde Ambiental ampliou a discussão sobre a proposta do Curso eenvolveu outros grupos em novas turmas;
O projeto secaracteriza por ser uma ação científica de desenvolvimento tecnológico que temcomo objetivo gerar um processo organizativo de currículo cujos encadeamentostécnico-pedagógicos para sua elaboração são específicos para a formação na áreada saúde ambiental para a população do campo em territórios da reforma agrária.
Como Desenvolvimento Tecnológico, além da matriz curricular do Curso quefoi fonte para o desenvolvimento de novos Cursos, há os trabalhos de conclusãode curso dos educandos de intervenção em saúde ambiental nas áreas de ReformaAgrária. Partindo da identificação dos determinantes sócio-ambientais da saúdee tendo como horizonte a promoção da saúde, através dos Planos de Açõeselaborados, os educandos buscaram enfrentar uma situação-problema consideradacrítica e que trará impactos importantes na qualidade de vida. Todos os Planosde Ação tem como foco o Desenvolvimento Sustentável das áreas e as ações que jáestão em andamento incorporam a busca de soluções para os problemas desaneamento e habitação como foco no saneamento ecológico e na permacultura,onde a moradia é percebida como centro da unidade produtiva (parte dela) e deveser desenvolvida na relação harmônica com os outros elementos presentes noecossistema onde a família desenvolve sua vida, então, a moradia entendida comocapaz de potencializar impactos na saúde humana, para além de suas delimitaçõesfísicas. Buscam soluções, também, para a mudança de modelo produtivo em direçãoà agricultura orgânica, como base nos princípios da agroecologia, a chamada“transição agroecológica”. Isso envolve, a eliminação gradativa ou radical dautilização de químicos e substituição por adubação verde e biofertilizantes, amultiplicação, diversificação e manejo consorciado de culturas, trazendo aampliação das fontes de renda familiar, avanços na alimentação saudável esegurança alimentar e nutricional, impactos positivos na saúde do trabalhadorrural, etc.
Vários desses Planos de Ações incorporaram a relação com o poder públicopara viabilizar as mudanças pretendidas, de forma que o Curso buscou prepararos educandos para essas relações apresentando do ponto de vista teóricodiferentes concepções de Estado e relações com a Sociedade Civil presentes emnossa sociedade.
A relaçãoestabelecida com os serviços de saúde através das pesquisas realizadas nostrabalhos de campo dos educandos, para a elaboração dos diagnósticos decondições de vida e situação de saúde nos assentamentos, pode ter afetado oprocesso de trabalho nestes serviços, principalmente na área de atuação davigilância em saúde ambiental, no que diz respeito à interação produzida para aresolução dos problemas dos assentamentos, como também no incremento daparticipação destes educandos nos canais existentes para o controle social(conselhos de saúde e de meio ambiente; plano diretor, etc). O caráterpermanente destes educandos nos assentamentos e nas relações que estabeleceramcom os serviços de saúde e no próprio município pode ter resultado em impactospositivos na qualidade de vida dos moradores dessas áreas e de outras famíliasque vivem no campo, não somente no que diz respeito ao acesso à assistência emsaúde, mas nos enfrentamentos dos determinantes sócio-ambientais da saúde.
Alguns doseducandos eram agentes comunitários de saúde em seus assentamentos,possibilitando novos arranjos tecnológicos no processo de trabalho nos serviçosde saúde municipais voltados para as especificidades dos territórios da reformaagrária.
Indução de práticas desaúde voltadas para a implementação das propostas de intervenção sobre os DSS,que foram elaboradas no planejamento estratégico produzido pelos educandos naexecução do trabalho de campo do curso;
Curriculo do Curso

UNIDADE DE APRENDIZAGEM 1: CONHECENDOO LUGAR DA PRODUÇÃO SOCIAL DA SAÚDE DA POPULAÇÃO DO CAMPO -  114 h (27 maio a 17 junho);
MÓDULO 1:Território e o Processo Saúde-Doença – 42 h (27 de maio a 03 de junho)
MÓDULO 2:Filosofia, Economia Política e a Questão Agrária Brasileira  36 h
MÓDULO 3:Planejamento em Saúde e as Práticas Locais para a População do Campo – parte 1(11 a 17 de junho) 36 horas;
Trabalho deCampo 1: Diagnóstico territorial (mapa do território), condições de vida esaúde – identificando os principais problemas de saúde ambiental – 48 h. 
UNIDADE DE APRENDIZAGEM 2 - ANALISANDOA SAÚDE AMBIENTAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO – 108 h 
MÓDULO 4:Trabalho e Ambiente Saudáveis – Condições de Trabalho, Vida e a Saúde Ambientalda População do Campo;  a  de agosto - 36 h
MÓDULO 5:Agroecologia e a Segurança Alimentar – a  de agosto – 36 h
MÓDULO 6:Planejamento em Saúde e as Práticas Locais Para a População do Campo de agostoa  de setembro: Parte 2 - 36 h
Trabalho deCampo 2: Problemas de saúde ambiental nos assentamentos: aprofundando questões– 48 h. 
UNIDADE DE APRENDIZAGEM 3 –ANALISANDO OS PROBLEMAS DE SAÚDE AMBIENTAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO - 108 h 
MÓDULO 7: OSus e a Vigilância em Saúde – 36 h;
MÓDULO 8:Movimentos sociais e a questão da terra: o caso do MST – 36 h;
MÓDULO 9:Planejamento em Saúde e as práticas locais para a população do campo – Parte 3- 36 h;
Trabalho deCampo 3 – Identificando atores e estratégias para a intervenção dos problemasde saúde ambiental – 48 h. 
UNIDADE DE APRENDIZAGEM 4 -INTERVINDO SOBRE PROBLEMAS DE SAÚDE AMBIENTALDA POPULAÇÃO DO CAMPO - 108 h
MÓDULO 10:Educação Popular em Saúde Ambiental, Novas Práticas em Saúde – 36 horas;
MÓDULO 11:Geotecnologia aplicada a saúde ambiental - 36 h;
MÓDULO 12: OPlanejamento Estratégico em Saúde e o Plano de Desenvolvimento dosAssentamentos  – 36 horas.

Anexos

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Whatsapp/Telegram
  • E-mail

Arquivo e/ou link relacionado às produções/práticas da experiência

Tipo de anexo
Imagem
Tipo de anexo
Link
Tipo de anexo
Link
Tipo de anexo
Imagem
Tipo de anexo
Imagem
Tipo de anexo
Imagem
Tipo de anexo
Imagem

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Não
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Movimentos sociais
  • Profissionais de saúde
  • Agricultoras/es familiares/camponeses
Qual(is) a(s) identidade(s) do(s) grupo(s) social(is) e coletivo(s) que participa(m) da construção desta experiência?
População do campo e Assentados da reforma agrária
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Se há um sexo com maior participação, indique
Feminino
Color o raza - indique lo(s) grupo(s) que participan de la experiencia
  • Amarela
  • Branca
  • Parda
  • Preta
Se há uma cor ou raça com maior participação, indique
Parda
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • De 30 a 60 anos
  • De 15 a 29 anos
Se há uma faixa etária com maior participação, indique
De 15 a 29 anos

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Ensino-pesquisa-extensão
Se envolve ensino, indique qual(is) o(s) tipo(s) de curso(s)
Nível médio
Si se trata de enseñanza, indique el número total de vacantes disponibles (por curso/clase)
40
Se envolve ensino, indique o número total de egressos (pessoas que concluíram o curso/turma)
26
Se envolve pesquisa, indique a área principal da pesquisa
Educação
Se envolve pesquisa, o grupo está cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq?
Não
Se envolve extensão, indique a área principal da extensão
Saúde
Si se trata de transferencia tecnológica, el grupo se encuentra formalizado en una institución universitaria?
Sim

Políticas públicas

Caso a experiência tenha acessado uma ou mais políticas públicas brasileiras, indique
Outra
Qual outra?
Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, das Águas e da Floresta; Lei Orgânica da Saúde

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Nacional (mais de 4 estados)

Práticas em saúde e agroecologia

Águas e saneamento
  • Captação de água de chuva
  • Outra
  • Cisterna
Qual outra?
Manejo das aguas; Saneamento ecológico
Práticas Agroalimentares (produção/beneficiamento/consumo)
  • Agrofloresta
  • Compostagem
  • Quintais sócio-produtivos (horticultura, pomar, etc.)
Prácticas Integradas y complementarias en Salud
  • Acupuntura ou medicina tradicional chinesa
  • Imposição de mãos
  • Meditação
  • Reiki
  • Plantas medicinais e fitoterapia
Práticas Populares e Tradicionais de Cuidado em Saúde ou Saúde Popular
  • Dietas alimentares
  • Remédios caseiros a partir de plantas medicinais
Esta práctica es considerada una tecnología social por los protagonistas de la experiência?
Sim
O que estimula a adoção dessa(s) prática(s)?
  • Ancestralidade/trajetória de vida/memória afetiva
  • Curso de capacitação e treinamento
  • Intercâmbio/vivência
  • Participação em redes de aprendizados e conhecimentos
  • Rodas de conversa e oficinas