Horta Escolar e a pandemia

VOLTAR


A Escola já realiza trabalhos com hortas há mais de 10 anos, criando pontes entre a sala de aula e a horta pedagógica. Recentemente, em 2018, a escola amplia seu espaço de produção para atender mais alunos, pais e a comunidade em geral, inicia a horta comunitária do Fauze, localizada na Escola Municipal Professor Fauze Scaff Gattass Filho. No local há 28 canteiros de 20 a 40 metros, com irrigação automatizada. A escola também oferece ferramentas, mudas, adubo orgânico e palha para cobertura dos canteiros. Os alimentos produzido no local tem três destinos: a venda (o valor das vendas volta para os que trabalham na horta), o consumo próprio das famílias e o uso na merenda escolar (também serve de estímulo para a modificação das chamadas públicas do PNAE, p.ex, o caso da taioba). Esse ano, devido a pandemia e o fechamento das escolas, um grupo de professores e voluntários se unem para manter o espaço produtivo. Renovam canteiros, fazem o plantio e manutenção dos canteiros. Assim que começa a sair as primeiras colheitas, surge a cesta de produtos agroecológicos do Fauze. Semanalmente é feito um formulário com os produtos disponíveis da horta, é gerado um link e esse link compartilhado entre os participantes da cesta. Pessoal responde e na sexta de manhã vão até a escola somente para a retirada da cesta com os produtos selecionados (cerca de 15 consumidores/semana). Dessa maneira, a horta de manteve ativa, gerou renda pra várias pessoas, muito excedente foi doado e iniciamos uma nova experiência para escoar os produtos. Os alimentos foram também durante a pandemia doados para a comunidade escolar, de um modo geral são pessoas vulneráveis. https://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/projeto-agricultura-urbana-pretende-criar-120-hortas-comunitarias-ate-2020