Saúde do campo e agrotóxicos : vulnerabilidades socioambientais, político-institucionais e teórico-metodológicas (livro)

VOLTAR


Trata-se de produção de livro sistematizando os principais resultados de pesquisas desenvolvidas nos territórios onde há agricultura e conflitos relacionados à exposição aos agrotóxicos, superexploração do trabalho e repercussões sobre questões de gênero, raça e classe.
Sabe-se que, diante da complexidade dos problemas identificados é preciso reconhecer os contextos socioambientais em que vive e trabalha a população e identificar os problemas geradores de nocividades tanto para a saúde humana como para o ambiente. A compreensão deste importante problema de saúde pública permite verificar diversos aspectos que não são observados quando se investiga diretamente apenas a relação causa-efeito, desconsiderando-se o contexto ambiental onde estão inseridos.
Diversos capítulos foram dedicados a discutir a determinação social do processo saúde-doença da população do campo, destacando a discussão acerca de sua relação com o processo de trabalho e de alienação. São apre- sentados resultados de estudos envolvendo mulheres quilombolas e trabalhadores canavieiros, bem como os processos de vulnerabilização que os afetam, considerando a distribuição desigual dos impactos negativos desse modelo de produção, que afeta esses grupos de forma particularmente severa.
A última parte do livro aborda o tema “Saúde do campo e reforma agrária: construção de práticas emancipatórias”, e busca apresentar alternativas possíveis para o modelo químico-dependente, apresentando uma crítica ao agronegócio, apontando a agroecologia como o modelo capaz de garantir uma produção agrícola saudável, na perspectiva da soberania e segurança alimentar, baseada na reforma agrária.

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Estadual

Duração da experiência

1 Impacto da Pandemia da Covid-19

Essa é uma experiência criada em resposta aos efeitos da crise sanitária decorrente da pandemia do Coronavírus (Covid-19)?
Não, a experiência já vinha acontecendo e continua durante a pandemia

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Ensino-pesquisa-extensão
Se envolve pesquisa, indique a área principal da pesquisa
Saúde

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Outra
  • Whatsapp/Telegram
Qual outra?
Encontros presenciais

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Não
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Gestoras/es públicos
  • Movimentos sociais
  • Profissionais de saúde
  • Estudantes
  • Educadoras/es
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Se há um sexo com maior participação, indique
Feminino
Color o raza - indique lo(s) grupo(s) que participan de la experiencia
  • Branca
  • Parda
  • Preta
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
De 30 a 60 anos
Se há uma faixa etária com maior participação, indique
De 30 a 60 anos

Práticas em saúde e agroecologia

Práticas Populares e Tradicionais de Cuidado em Saúde ou Saúde Popular
Outra
Qual outra?
Construção de práticas emancipatórias junto a movimentos sociais; interseccionalidade de gênero, raça e classe em comunidades tradicionais
O que estimula a adoção dessa(s) prática(s)?
  • Ancestralidade/trajetória de vida/memória afetiva
  • Intercâmbio/vivência
  • Rodas de conversa e oficinas

Resistências e ameaças

Algo ameaça esta experiência?
  • Racismo
  • Agrotóxico
  • Disputa territorial ou dificuldade de acesso ao território
  • Violência de gênero (contra mulher, LGBTQIAP+fobia)
Há conflito(s) ambiental(is) no(s) território(s) onde essa experiência acontece?
Sim
Indique o(s) município(s) e respectiva(s) Unidade(s) Federativa(s) onde acontece o conflito
Garanhuns (PE); AL
Grupo(s) social(is) atingido(s) pelo conflito ambiental
  • Agricultor(a) familiar
  • Quilombolas
  • Trabalhadoras/es rurais assalariadas/os
Actividades generadoras del conflicto
  • Agroindústria/agronegócio
  • Monoculturas
  • Agrotóxicos
Impactos Socio-ambientales de las actividades
  • Alteração no regime tradicional de uso e ocupação do território
  • Desmatamento
  • Erosão do solo
  • Exploração no trabalho
  • Poluição atmosférica
  • Poluição de recurso hídrico
  • Poluição do solo
Possíveis danos à saúde decorrentes da atividade e/ou do conflito
  • Insegurança alimentar e nutricional
  • Piora na qualidade de vida
  • Doenças respiratórias
  • Violência - assassinato
  • Violência - lesão corporal
  • Acidentes
  • Contaminação química
  • Alcoolismo e/ou uso problemático de outras drogas
  • Contaminação ou intoxicação por agrotóxicos