Rede Saúde, Saneamento, Água e Direitos Humanos para o Semiárido

VOLTAR


A construção da “Rede Saúde, Saneamento, Água e DireitosHumanos” – RESSADH – iniciou-se no primeiro semestre de 2016, a partir de umaarticulação da Fiocruz Ceará em parceria com o Instituto Federal de Educação,Ciência e Tecnologia (Campus Fortaleza), Secretaria de Saúde do Estado doCeará, Associação dos Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará, CáritasBrasileira Regional Ceará, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra eCentro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador.
Em 30e 31 março de 2017 foi realizada em Fortaleza-Ceará, a Oficina de Criação daRESSADH1, com vistas a ampliar a participação dos diversos atores esetores que atuam na temática, além das comunidades que vivenciam aproblemática relacionada à ausência ou precariedade do saneamento, da seca e daescassez hídrica em seus territórios. O evento que teve como objetivo discutirsobre a organização, princípios e diretrizes da Rede, contou com cerca de 150participantes – representantes de instituições de ensino e pesquisa, entidades,movimentos sociais, comunidades de diversas regiões do Ceará e setores doEstado responsáveis pela implementação das políticas públicas relacionadas àtemática em pauta.
A RESSADH se propõe a atuar na formação, pesquisa ecooperação socioambiental. Sobre a formação, a Rede concebe que se faznecessário proporcionar processos educativos por meio de atividades pedagógicasque estimulem nos/as educandos/as a reflexão numa perspectiva crítica eproblematizadora da realidade onde atuam com vistas a transformá-la. Valedestacar a experiência do Curso de Especialização e de Aperfeiçoamento emEducação Popular e Promoção de Territórios Saudáveis na Convivência com oSemiárido 2,3 coordenado pela Fiocruz Ceará, fruto de umaarticulação entre a RESSADH e a ArticulaçãoNacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular em Saúde (ANEPS).
Com base no diálogo de saberes e na perspectiva da construçãocompartilhada de conhecimentos, salienta-se a concepção de pesquisas participativas,as quais pressupõem o envolvimento dos diversos segmentos sociais – sujeitos, coletivos,movimentos, entidades e organizações – que tem uma atuação relacionada aos problemasde pesquisa. Espera-se que as pesquisas desenvolvidas no âmbito da RESSADH contribuampara a transformação social, para a promoção da saúde nos territórios, para ofortalecimento da autonomia e dos modos de vida dos grupos populacionais vulnerabilizadose em situação de injustiça ambiental, bem como para o fortalecimento das instânciasdo Sistema Único de Saúde.
Em relação à cooperação social, a Rede visa apoiar aorganização do Sistema Único de Saúde nas ações de prevenção de doenças,atenção, promoção e vigilância da saúde; e contribuir com entidades emovimentos sociais no desenvolvimento e fortalecimento de estratégias deconvivência com a seca, o que pode subsidiar as políticas públicas; estabelecerparcerias com entidades e instituições que atuam na temática Saúde, Saneamento,Água e Direitos Humanos.
Espera-se que as ações e atividades de formação, pesquisa ecooperação sejam desenvolvidas de forma articulada e que contribuam para aprodução de conhecimento, tecnologia e inovação aplicáveis à realidade daspopulações as quais vivenciam os problemas relacionados ao saneamento precário;à seca, à escassez hídrica e ao acesso a água imprópria para consumo humano.
Objetiva-se que o conhecimento, a tecnologia e a inovaçãoproduzidos no âmbito da RESSADH subsidiem a formulação de políticas públicassetoriais e intersetoriais promotoras de saúde e de qualidade de vida. Nessesentido, as estratégias teórico-metodológicas participativas e os novosconhecimentos gerados poderão ser úteis no desenvolvimento de tecnologiassociais e estratégias de convivência com o semiárido, na elaboração de planosdiretores de unidades de conservação, de terras indígenas, ribeirinhos e quilombolas,camponeses, de municípios, bacias hidrográficas e outras categorias de análisee gestão territorial.
1.     https://portal.fiocruz.br/noticia/rede-sobre-saude-agua-e-direitos-humanos-e-criada-no-ceara
2.   http://ce.caritas.org.br.s174889.gridserver.com/2019/01/14/curso-promove-dialogo-de-saberes-praticas-entre-educa-convivencia-semiarido/
3.    https://agencia.fiocruz.br/curso-promove-educacao-popular-em-saude-no-semiarido

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Regional interestadual

Redes em saúde e agroecologia

De que forma sua organização poderia colaborar na criação e/ou fortalecimento dessas redes?
Participando das iniciativas de formação, pesquisa, cooperação social e outras em parceria com os diversos segmentos - comunidades, movimentos, redes, articulações, entidades, organizações, instituições de ensino e pesquisa, entre outros - que atuam na temática "saúde e agroecologia". 

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Whatsapp/Telegram
  • E-mail

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Sim
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Movimentos sociais
  • Organização não governamental (ONG)
  • Outro
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Masculino
  • Feminino
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • De 15 a 29 anos
  • De 30 a 60 anos
  • Acima de 60 anos

Identificação

O describa es el nombre de la organización que registra la experiencia
Fundação Oswaldo Cruz Ceará

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Outro