O processamento do pinhão (Araucária angustifólia): geração de renda e conhecimento no PE Nova Batalha, Vacaria/RS.

VOLTAR

O presente relato busca, além de divulgar a experiência, mostrar como se dão as relações e a prática do processamento do pinhão junto ao Grupo de Famílias Ferrarini, no Assentamento Nova Batalha, em Vacaria/RS. O processamento do pinhão tem-se mostrado uma saída para a diversificação da renda familiar no assentamento, e aliada ao cultivo e processamento de outras frutas nativas, tem garantido a manutenção de dezenas de famílias em áreas de reforma agrária na região nordeste do estado do Rio Grande do Sul. O processamento do pinhão é feito de forma artesanal e envolve toda a família. De forma geral, o processamento do pinhão tem gerado uma dinâmica econômica e ambiental bastante interessante para as famílias envolvidas, já que ao mesmo tempo aliam geração de renda com preservação da floresta de araucárias.
Ano de publicação
2015
Última atualização
05/12/2020
Mapeamento
Antigo agroecologia em rede
Organização de referência
CETAP - Centro de Tecnologias Alternativas Populares
Organizações envolvidas
Área Temática