Curso de Especialização e de Aperfeiçoamento em Educação Popular e Promoção de Territórios Saudáveis na Convivência com o Semiárido

VOLTAR


Cursode Especialização e de Aperfeiçoamento em Educação Popular e Promoção deTerritórios Saudáveis na Convivência com o Semiárido
 
O Curso deEspecialização e de Aperfeiçoamento em Educação Popular e Promoção deTerritórios Saudáveis na Convivência com o Semiárido iniciado em janeiro de2019 é coordenado pela Fiocruz Ceará em parceria com as seguintes instituições e organizações: Universidade daIntegração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB); UniversidadeEstadual do Ceará (UECE); Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia(IFCE); Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza; Rede Saúde, Saneamento, Águae Direitos Humanos (RESSADH), Articulação Nacional de Movimentos e Práticas deEducação Popular em Saúde (ANEPS) e Rede Nacional de Médicos e MédicasPopulares – Ceará. Trata-se de umaturma conjunta com 45 educandos(as) da especialização e oito do aperfeiçoamentooriundos de várias regiões do Ceará e oeste do Rio Grande do Norte.Inicialmente financiado com recursos do Ministério da Saúde (MS), o processoformativo teve continuidade graças a auto-organização dos(as) educandos(as), àsvárias articulações em rede construídas e apoios recebidos da RESSADH; ANEPS;Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde – VPAAPS/Fiocruz; eFiocruz Ceará.
Com 466 horas/aula distribuídasem Tempo Escola (TE) – 258 horas-aula, Tempo Comunidade (TC) – 108 horas-aula, eTrabalho de Conclusão de Curso (TCC) – 100 horas-aula, a estrutura curriculardo Curso é composta por seis módulos, a saber: I. Sociedade, Estado e Modelo deDesenvolvimento; II. Território, Trabalho e Cultura; III. Educação Popular emSaúde, IV. Promoção e Vigilância à Saúde no Território; V. Água, Agroecologia,Saneamento e Convivência com o Semiárido; e VI. Construção Compartilhada doConhecimento, os quais estão organizados de forma integrada e articulada emtrês Unidades de Aprendizagem (UA): UA I – Educação Popular em Saúde noContexto do Semiárido, UA II – Diálogos e intervenções nos territórios e UA III– Políticas públicas e sistematização de ações afirmativas em Educação Popularem Saúde e Convivência com o Semiárido nos territórios, as quais foram desenvolvidasno TE e no TC.
O TE corresponde aos trêsmomentos presenciais, os quais aconteceram na cidade de Fortaleza, em sistemade imersão de sete dias, com carga horária de 70 horas-aula cada, e pelosmomentos destinados à realização dos encontros regionais e do encontrointerestadual. O TC aconteceu entre cada TE e compreende o tempo dedicado àelaboração e ao desenvolvimento das atividades pedagógicas: estudos individuais,trabalhos escritos de sínteses com base nos referenciais teóricos dos módulos, cartografiasocial, intervenção, sistematização das experiências de educação popular econvivência com o semiárido e demais atividades realizadas pelos/aseducandos/as nos territórios, os quais foram acompanhados pelos educadores/as eou tutores/as vinculados/as à Fiocruz Ceará e às instituições e organizações parceiras.Essas atividades e respectivos materiais produzidos foram entregues àCoordenação do Curso e registrados em portfólio e/ou sistematizados durante oCurso.
Foram realizados seis encontrosregionais (cinco no Ceará: 1. Litoral Leste e Vale do Jaguaribe, 2. Sobral eMacro Fortaleza, 3. Sertão Central, 4. Cariri e 5. Fortaleza e RegiãoMetropolitana e um no Rio Grande do Norte: Mossoró) e um encontro interestadual(em Fortaleza), que contaram com a participação das instâncias do SUS municipal,regional e estadual, além dos movimentos sociais e populares e das instituiçõesde ensino e pesquisa presentes nas diversas regiões, de modo que se constituíramem espaços de intercâmbio de experiências entre os municípiose territórios das regiões envolvidas sobre educação popular em saúde, formassustentáveis de usufruto do território, tecnologias sociais e estratégias deconvivência com o semiárido. Nesses encontros os(as) educandos(as) apresentaramasintervenções desenvolvidas nos territórios onde atuam, bem como os produtos dassistematizações das experiências de educação popular em saúde e de convivênciacom o semiárido em suas diversas linguagens: vídeo, ato cenopoético, teatro, cordel,álbum seriado, entre outros. A partir dosolhares diversos dos sujeitos participantes e da riqueza das experiênciascompartilhadas, o ponto culminante dos encontros regionais e interestadual foi odebate acerca das estratégias para a implementação da Política Nacional deEducação Popular em Saúde nos municípios, regiões e no âmbito estadual, a partir da qual seja possível atuarpela formação permanente, o cuidado e a participação social.
Os módulos integradosem UA foram construídos com base nos princípios e diretrizes do SUS, com ênfaseem temas que integram Educação Popular e Promoção deTerritórios Saudáveis na Convivência com o Semiáridoe abordaram conteúdos com o objetivo de proporcionar aos/às trabalhadores/as desaúde e militantes das redes, fóruns, articulações, movimentos sociais e popularesuma formação político ideológica visando a construção de sujeitos críticoscomprometidos com a saúde como direito fundamental e com a consolidação,fortalecimento e ampliação do SUS como forma de acesso a este direito.
O percurso metodológico docurso está ancorado nos princípios teórico-metodológicos da educação popular,nos quais a problematização e a construção compartilhada do conhecimento são referênciasfundamentais, sempre partindo das experiências na perspectiva  de contribuirpara uma análise crítica da realidade. O processo se propôs a gerar aaprendizagem significativa, incentivando a cogestão de coletivos, qualificandoa ação e proporcionando a autonomia e protagonismo dos sujeitos populares emsua interface com os trabalhadores dasaúde e os atores das instituições de formação. Nesse sentido, foram adotadasdiversas estratégias educacionais para o alcance dos objetivos de aprendizagem,destacando: círculo de cultura, feira do soma sempre, júri simulado, cinedebate, produção de síntese criativa, estudo dirigido, cenopoesia, teatro fórum,mesa-redonda, exposição dialogada, oficinas de trabalho em pequenos grupos,painel de experiências, intercâmbio e socialização de experiências, trabalho decampo, estudo individual e em grupo com produção de síntese criativa, roda dememória e construção da linha do tempo, Grupos de Verbalizaçãoe Observação – GVGO a partir das experiências identificadas nos territórios,vivência de cuidado e mística. Ressalte-se que a mística e a cenopoesiapermearam todo o processo de desenvolvimento do curso, as quais eram protagonizadaspelos(as) educandos(as) que se organizaram em Núcleos de Aprendizagem e Ensino(NAE) e cada dia durante a semana de imersão do TE era coordenado por um NAEdiferente.
Atualmente,o Curso prossegue com a fase de avaliações dos TCC e, em seguida, dar-se-á continuidadeao processo de sistematização da experiência do Curso (metodologia de OscarJara Holliday), com a produção dos seguintes materiais: 1. um vídeoinstitucional sobre o Curso com destaque para algumas experiências nosterritórios; 2. um caderno sobre as experiências do curso e dos territórios; 3.a produção de cinco podcasts: um podcast destinado a divulgar as experiênciasdo Rio Grande do Norte e quatro podcasts para divulgar as experiências do Ceará(territórios de Semiárido, Povos do Mar e do Mangue, áreas de Reforma Agrária, cidadede Fortaleza); e 4. Cordel com roteiros cenopoéticos produzidos durante oprocesso.
Os depoimentos das coordenadorasAna Cláudia Teixeira e Vera Dantas, em matérias publicadas por ocasião daabertura do curso1,2, ilustram bem a riqueza, as expectativas e opropósito do curso.
“A riqueza desse processo se dá pelo diálogo entre os campos da Educação Popular em Saúde e a Convivência com o Semiáridoe também por toda a construção coletiva que foi feita desde o início” (AnaCláudia Teixeira, pesquisadora da Fiocruz Ceará, RESSADH). (adaptação nossa)
“Na perspectiva da prevenção,promoção e vigilância da saúde, a expectativa é de que o curso contribua com odesenvolvimento de estratégias que visem à incorporação das experiências epráticas de Educação Popular na atenção básica com enfoque na temática ‘Água,Agroecologia, Saneamento e Tecnologias de Convivência com o Semiárido’” (AnaCláudia Teixeira, pesquisadora da Fiocruz Ceará, RESSADH)
Sobre “o desejo de que a prática sejaincorporada de fato pelo SUS, abrindo pontes de diálogo e ação com outrossujeitos de fora do setor da saúde”, Vera Dantas exemplifica: ‘Se eu estou numaárea que é atingida pelo uso de agrotóxicos, e isso tem prejudicado a saúde daspessoas, como é que os movimentos do campo da saúde e da educação popular sejuntam com os movimentos que lutam contra os agrotóxicos, que lutam pelaagricultura familiar e agroecológica, para que a gente construa possibilidadesde um caminho de viver mais saudável?’” (Vera Dantas, Secretaria Municipal deSaúde de Fortaleza, ANEPS)
Para Vera Dantas, “[...] a formaçãoabre ainda a ‘possibilidade de recriar os rituais de educação e saúde, e tambémde recriar os rituais de cuidado, com essas práticas que não sãonecessariamente de cuidado sobre o corpo das pessoas, mas são de cuidados comessa pessoa e tudo o que a constitui, que é o seu próprio ambiente’”.
1.     http://ce.caritas.org.br.s174889.gridserver.com/2019/01/14/curso-promove-dialogo-de-saberes-praticas-entre-educa-convivencia-semiarido/
2.     https://agencia.fiocruz.br/curso-promove-educacao-popular-em-saude-no-semiarido

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Sim
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Agricultoras/es familiares/camponeses
  • Educadoras/es
  • Organização não governamental (ONG)
  • Profissionais de saúde
  • Movimentos sociais
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • De 15 a 29 anos
  • De 30 a 60 anos

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Ensino-pesquisa-extensão
Se envolve ensino, indique qual(is) o(s) tipo(s) de curso(s)
  • Pós graduação lato sensu
  • Curso livre (sem titulação)
Si se trata de enseñanza, indique el número total de vacantes disponibles (por curso/clase)
77
Se envolve ensino, indique o número total de egressos (pessoas que concluíram o curso/turma)
54

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Regional interestadual

Identificação

O describa es el nombre de la organización que registra la experiencia
Fundação Oswaldo Cruz Ceará

Resistências e ameaças

Algo ameaça esta experiência?
Outra

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • Outra
  • E-mail
  • Whatsapp/Telegram