Projeto Vigilância popular em Saúde e Segurança Alimentar no Caminhos dos Alimentos, das Águas e das Pessoas no Semiárido Brasileiro em Tempos de Pandemia e Pós Pandemia

VOLTAR


Considerando-se a vulnerabilidade socioambientais no meiorural brasileiro, especialmente relativas à insegurança alimentar na região dosemiárido brasileiro agravadas pelo contexto pandêmico, urge-se a necessidadede construção de conhecimento e soluções inovadoras e integradas, de modocolaborativo e participativo envolvendo governos, comunidade científica e asociedade civil em articulação com as comunidades em territóriosvulnerabilizados. Nesta perspectiva projeto tem por finalidade a promoção damelhoria das capacidades de agricultoras e agricultores familiares e suasentidades representativas; agentes populares e organizações da sociedade civilcom atuação em territórios rurais do semiárido brasileiro, visando a ampliaçãode seu protagonismo e incidência sobre implementação de políticas públicas,partindo de suas realidades concretas. Propõe um conjunto articulado deestratégias na implementação de uma vigilância popular em saúde de baseterritorial então potencializadora da governança participativa e empoderamentodestes sujeitos no âmbito da promoção de territórios rurais saudáveis esustentáveis. A formulação dessa proposta valoriza um conjunto de ações estratégicasdesenvolvidas conjuntamente, nos últimos anos, pela Fiocruz e a Articulação doSemiárido Brasileiro (ASA) envolvendo movimentos sociais e governos nodesenvolvimento de uma vigilância em saúde de base territorial participativapara promoção de territórios saudáveis e sustentáveis na região do Semiárido.Metodologicamente o projeto desenvolver-se-áa partir de três eixos em conexão e articulação: 1) a formação para ação; 2) acomunicação e informação para ação; e, 3) a governança territorial em rede.

Anexos

Localização e abrangência espacial

Esta experiência está sendo cadastrada pelo celular (via aplicativo ODK Collect)?
Não
Qual é a abrangência territorial das ações desenvolvidas na experiência?
Nacional (mais de 4 estados)

Duração da experiência

1 Impacto da Pandemia da Covid-19

Essa é uma experiência criada em resposta aos efeitos da crise sanitária decorrente da pandemia do Coronavírus (Covid-19)?
Sim, é uma experiência nova

Práticas em saúde e agroecologia

Águas e saneamento
Outra
Práticas Agroalimentares (produção/beneficiamento/consumo)
Outra
Práticas Populares e Tradicionais de Cuidado em Saúde ou Saúde Popular
Outra
O que estimula a adoção dessa(s) prática(s)?
  • Rodas de conversa e oficinas
  • Intercâmbio/vivência
  • Participação em redes de aprendizados e conhecimentos
  • Ancestralidade/trajetória de vida/memória afetiva
Qual outra?
Trata-se de um Projeto em fase inicial de implantação. E potencialmente considerando-se o processo metodológico proposto; os cenários e experiências anteriores na região do semiárido brasileiro; e, a centralidade do tema do acesso à água, diferentes práticas no campo de Águas e saneamento deverão ser discutidas, implementadas em diálogo com os territórios abrangidos.
Qual outra?
Trata-se de um Projeto em fase inicial de implantação. E potencialmente considerando-se o processo metodológico proposto e a centralidade da temática da soberania e segurança alimentar, diferentes práticas Agroalimentares deverão ser discutidas, evidenciadas e implementadas em diálogo com os territórios abrangidos.
Qual outra?
Trata-se de um Projeto em fase inicial de implantação. E potencialmente considerando-se o processo metodológico proposto centrado no desenvolvimento de uma vigilância popular em saúde de base territorial, pretende-se a geração de evidências e a promoção de diferentes práticas populares e tradicionais de cuidado em saúde.

Identificação do tipo experiência

Esta experiência é/foi realizada no Brasil?
Sim
Selecione o tipo de experiência
Alimentação e nutrição

Sujeitos

Você considera que a experiência tem uma atuação em Rede?
Sim
¿Con qué grupos se construye esta experiencia?
  • Agricultoras/es urbanas/os
  • Educadoras/es
  • Extensionistas rurais/ técnicas/os
  • Profissionais de saúde
  • Gestoras/es públicos
  • Movimentos sociais
  • Organização não governamental (ONG)
  • Agricultoras/es familiares/camponeses
Qual(is) a(s) identidade(s) do(s) grupo(s) social(is) e coletivo(s) que participa(m) da construção desta experiência?
agricultoras e agricultores familiares
Sexo: indique los grupos que participan en esta experiencia
  • Feminino
  • Masculino
Faixa etária - indique o(s) grupo(s) que participa(m) dessa experiência
  • De 15 a 29 anos
  • De 30 a 60 anos
  • Acima de 60 anos

Estratégias de Comunicação e Anexos

Que tipo(s) de ferramenta(s) utiliza para divulgar a experiência e se comunicar com os envolvidos?
  • E-mail
  • Site
  • Whatsapp/Telegram

Arquivo e/ou link relacionado às produções/práticas da experiência

Tipo de anexo
Documento (PDF, Word, Excel, etc)

Redes em saúde e agroecologia

De que forma sua organização poderia colaborar na criação e/ou fortalecimento dessas redes?

Intercambiando experiências e promovendo ampliação do debate e construção coletiva do conhecimento na geração de evidências sobre as estratégias resili entes e solidárias nos territórios rurais da região do semiárido brasileiro.

Políticas públicas

Caso a experiência tenha acessado uma ou mais políticas públicas brasileiras, indique
Outra
Qual outra?
Trata-se de um Projeto em fase inicial de implantação. Não acessa diretamente mas discutirá ao longo de sua implementação estratégias de adequação e acesso ao conjunto de políticas públicas afetas a temática abordada, considerando demandas e realidades de cada um os territórios abrangidos.