Experiência: Experiência de Idelfonso da comunidade de Lagoa Comprida em Ouricuri-PE
Chamada : Manejo do tanque de fermentado para adubar e fortificar plantas

Ano Publicação: 2001
   
Idelfonso desenvolve em sua propriedade na comunidade de Lagoa Comprida, município de Ouricuri, no sertão Pernambucano, a experiência do fermentado. O fermentado é um adubo e fortificante para plantas feito com o esterco fresco retirado do rúmem após o abate do gado. Para fazer o fermentado, usa-se folhas de mororó, palma forrageira, cana de açúcar e capim elefante. E nunca deve-se colocar no tanque aquelas plantas bactericidas como a favela, o angico ou a canafístula. Idelfonso fala que é preciso ter cuidado com o pH. Ele usa fitinhas para medir ou observa alguns indicadores naturais: quando o capuxú (abelha nativa) ou a abelha africana visita, o tanque o fermentado está quase no ponto; a presença da mosquinha de asa dura indica que o fermentado está pronto; e quando tem mosca varejeira, o fermentado está ruim. Não é muito caro de se construir um tanque, o gasto é de aproximadamente R$50,00 para um reservatório de 500 litros. Na hora de plantar, Idelfonso ensina que deve-se deixar as sementes de molho no fermentado por 10 a 15 minutos. Depois reaproveita-se o fermentado voltando para o tanque ou na própria planta. Para pulverizar em hortaliças, usa meio copo de fermentado numa bomba de vinte litros de água, para o feijão, usa um copo e para as fruteiras e plantas grandes um litro de fermentado em 19 litros de água. Em dias quentes, deve-se aplicar o produto até as 9 horas da manhã ou depois das 5 horas da tarde.
Autor(es):

Idelfonso (Ouricuri-PE)

SASOP

Relator(es):

SASOP

Áreas Temáticas
 Adubação do Solo

Áreas Geográficas
 Pernambuco Ouricuri Sertão Pernambucano Ouricuri

Biomas
 Caatinga