Cultivo agroecológico, uma solução para o semi-árido

O casal João Neto e Reginalda mora com os quatro filhos na comunidade de Cajazeiras, em Umarizal, Rio Grande do Norte. Na propriedade de 66 hectares são cultivadas de maneira agroecológica milho, feijão, fruteiras e hortaliças, e ainda criam gado. A horta agroecológica ocupa meio hectare, e nela são cultivados alface, berinjela, beterraba, cebolinha, cheiro-verde, pimentão, quiabo e outros. O excedente é comercializado na própria comunidade e também na Feira Agroecológica do município. O terreno da propriedade é acidentado, e é preciso adotar práticas de conservação do solo para amenizar essa situação. Na horta existe um sistema de irrigação, e para enfrentar o problema da falta d'água a família procura preservar as árvores nativas próximas ao rio Umari. Antes de iniciar o cultivo da horta agroecológica a renda não era suficiente para arcar com as despesas da família, mas hoje eles já conseguem tirar 480 reais mensais.

Experiência
Cultivo agroecológico, uma solução para o semi-árido
Chamada
Horta agroecológica no semi-árido potiguar
Ano de publicação
2003
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.