A experiência de criar cabras em pequenas propriedades de brejo

Vero mora com sua mãe e seu filho na comunidade Retiro, em Lagoa Seca, Paraíba. Na propriedade de 2,5 hectares a família cria cabras e galinhas, além de plantar fruteiras, roçado e forragem para os animais. Vero já criou vaca em sua propiredade, mas passou a questionar as dificuldades que tinha para tratar dos animais em uma propriedade tão pequena. Pensou que o ideal seria criar cabas. Sua comunidade fica localizada numa região de brejo, ou seja, parte mais úmida no município. Vero passou então estudar as raças de cabras para saber qual se adaptaria melhor nessa situação. A raça escolhida foi a Saanen. Quando compra animais de fora, Vero se preocupa primeiro com a adaptação do organismo dos animais e faz com alimentação. Dá aos poucos as plantas que tem na propriedade, sempre misturadas com sal. Faz isso por 15 a 30 dias. Também buscou melhorar o potencial de produção de forragem e fez vários campos de palma consorciados com gliricídia, feijão guandu, leucena, moringa, camunzé, craibeira, joão mole, sucupira e outras. Assim não precisa comprar alimento para os animais, economizando dinheiro. Vero também toma cuidado com a saúde dos animais: ele coloca uma escada deitada sobre o cocho onde fica a ração, impedindo que os bichos pisem, defequem ou urinem na comida; e na ração sempre colocam alguma planta (alho, erva moura, folha de bananeira) para ajudar a controlar os vermes. Vero aconselha que os criadores de cabra iniciem a atividade com poucos bichos, e depois aumente o rebanho com os animais que forem nascendo na propriedade, que são mais resistentes. E cita dois grandes motivos que encontrou para criar cabras: primeiro porque é de fácil manejo e segundo porque é fácil de vender.

Experiência
A experiência de criar cabras em pequenas propriedades de brejo
Chamada
Criação de cabras da raça Saanen no agreste paraibano
Ano de publicação
2006
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relatoras/es
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.