Agrofloresta no Sítio São João, recupera diversidade

Lenir Pereira e Jones Severino são casados e moram no sítio São João, na comunidade Inhamã, município de Abreu e Lima, na Mata Norte pernambucana. O casal vive da produção agrícola e da criação de abelhas africanizadas. Desde 1993 eles adotam práticas agroecológicas como plantio em curva de nível e produção de composto orgânico. Em 1994, iniciaram uma agrofloresta com plantações de abacaxi, mamão, leucena e banana, mas a primeira experiência não foi muito bem sucedida. Após conhecer a experiência de Ernst Gotsch, Jones percebeu que era preciso fazer o planejamento da área, priorizar a recuperação do solo e plantar adubadoras em consórcio com as culturas mais adequadas ao seu solo, para então introduzir as culturas de luxo. Antes da agrofloresta o sítio tinha poucas espécies e o solo era bastante degradado, já hoje conta com uma diversidade impressionante de plantas nativas, adubadoras e agrícolas. Dona Lenir transforma as frutas em bolos, doces, licores, geléias e polpa, que são vendidas no Espaço Agroecológico das Graças, em Recife. O casal recebeu um prêmio pelo trabalho com agrofloresta em 2004, e a propriedade é muito procurada por pessoas interessadas em intercâmbios e estágios de vivência.

Experiência
Agrofloresta no Sítio São João, recupera diversidade
Chamada
Produção agroflorestal na Zona da Mata pernambucana
Ano de publicação
2006
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.