Abelhas nativas: como arranchar abelhas uruçu em caixas

Em uma reunião realizada na comunidade do Mineiro, em Lagoa Seca, Paraíba agricultores e agricultoras do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, numa tentativa de resgatar e preservar as variedades de abelha nativa, discutiram formas de se povoar caixas com abelhas do tipo uruçu. Discutiram que primeiro é preciso limpar bem a caixa e depois passar folhas de capim santo ou erva cidreira. O cheiro característico dessa planta faz lembrar o ferormônio das abelhas. Em seguida prepara-se uma latinha de alumínio em forma de flor e a prega na entrada da caixa pelo lado de fora, protegendo as abelhas dos predadores. Coloca-se um pedaço de cera em formato de anel na entrada da caixa para ajudar as abelhas a reconhecer caixa como sua casa. Com um pedaço de cera se faz um canal ligando a entrada até o canto do outro lado da caixa. Com a caixa pronta, abre-se o tronco com cuidado para não matar as abelhas nem as crias, e muito menos destruir os potes de mel. Coloca-se o ninho dentro da caixa na mesma posição que ele estava. Depois deve-se procurar os potes de mel e de pólem que não estejam furados para também colocar na caixa. Com uma folha de cera se cobre o ninho cuja capa protetora estragou durante a abertura do tronco. Antes de fechar a caixa é preciso ter certeza de que a abelha mestra ou rainha esteja dentro, assim como se deve colocar para dentro as outras abelhas, especialmente as mais novas que ainda não conseguem voar. Depois de tudo isso a caixa já pode ser fechada, pregando em cada ponta da tampa e da caixa, e depois passando um arame entre os pregos. Por fim, passa-se uma camada de barro para fechar as frestas que ficam entre a tampa e a caixa.

Experiência
Abelhas nativas: como arranchar abelhas uruçu em caixas
Chamada
Criação de abelhas
Ano de publicação
2003
Última atualização
05/12/2020
Autoras/es
Relatoras/es
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.