Alimentação alternativa para os animais de terreiro

A família de Eliete e Luiz Souza adota técnicas alternativas de manejo na criação de galinhas, cabras, ovelhas, gado e cavalo. Os animais maiores são alimentados com guandu e sorgo. Já os grãos produzidos por essas plantas são armazenados e oferecidos às galinhas e aos pintos. As galinhas são alimentadas da seguinte forma: quando o roçado está maduro, elas ficam soltas e recebem os grãos uma vez por dia; quando não está, recebem os grãos duas vezes por dia. Para os pintos a agricultora criou uma ração composta por 15 litros de milho, 10 litros de guandu ainda na vagem, cinco litros de amendoim ainda na vagem, oito quilos da mistura de sementes de girassol, jerimum, moringa trituradas. Diz que essa ração ajuda no crescimento. No final do roçado, os animais são mantidos soltos e se alimentam de plantas do mato como pega-pinto, seca-gaveta, bredo, avanço. A família valoriza muito a criação desses animais, apresentando sua experiência em visitas de intercâmbio, reuniões, encontros de agricultores experimentadores realizados no município e em outros lugares.

Experiência
Alimentação alternativa para os animais de terreiro
Chamada
Técnicas alternativas utilizadas na alimentação de galinhas.
Ano de publicação
2000
Última atualização
04/11/2019
Autoras/es
Relator/a
Anexo
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
  • Juliana 08/05/2008 às 00h00

    Gostaria de saber se os produtores tem dados de produção como taxa de postura ou idade e peso de abate. Gostaria de saber também qual é a quantidade da ração alternativa que fornecem diariamente para as aves e qual é a mortalidade encontrada na ciração.

  • Casimiro Junior 03/09/2010 às 00h00

    gostaria de saber qual a quantidade de ração (milho triturado com farelo de soja) fornicida diariamente para pintos em crescimento.