Cultivo em quintais: a produção de alimentos sadios para a vida

Desde a infância dona Eugênia sabe cuidar do quintal e valorizar as sementes que produzirão os alimentos para a casa e para a venda. Ela conserva uma série de sementes que trouxe da casa de sua mãe, além de plantar outras tantas. Dona Eugênia desenvolve uma prática diferente para a cultura do tomate e do pimentão. Primeiro se planta aveia, que quando amarela é dobrada para formar as leiras. É então feita uma cova onde se coloca esterco curtido e é plantado o tomate ou pimentão, sem retirar a aveia. Depois é adicionada urina de vaca, e na colheita se aplica mais um pouco de esterco. Quando o tomateiro fica doente se retira a planta e coloca cal virgem, e Dona Eugênia está experimentando o plantio de couve no meio da aveia para diminuir o ataque de pulgões. Com criatividade Dona Eugênia organiza seu quintal, plantando alface, repolho, pepino e abobrinha. Para não faltar esterco, ela faz esterqueiras onde coloca uma camada de esterco, outra de palha, restos de comida e outra de esterco. Se estiver quente se adiciona água. Quando estiver no ponto já pode se jogar direto nas leiras. Dona Eugênia utiliza o regador para molhar toda a horta, gastando uns 200 litros de água por dia. Todo o trabalho a satisfaz, e ela acredita estar ajudando outras pessoas.

Experiência
Cultivo em quintais: a produção de alimentos sadios para a vida
Chamada
Produção de sementes e manejo de hortas
Ano de publicação
2000
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Anexo
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.