Chácaras Quilombolas do Limoeiro no Litoral do Rio Grande do Sul: resistência e agrobiodiversidade

As Chácaras Quilombolas, no litoral médio no Estado do RS, constituem importantes redutos de manutenção histórica da agrobiodiversidade, estabelecendo um contraponto ambiental e cultural à monocultura do arroz em latifúndios, principal atividade econômica desta região. As chácaras são mantidas pelas famílias quilombolas que historicamente e coletivamente vem constituindo as paisagens locais através de suas práticas tradicionais. Estas práticas envolvem manejos e quintais agroflorestais integrados a cultivos de espécies de “roça” e criações de animais em campos nativos, o que promove a manutenção e potencialização da agrobiodiversidade. Nesses sistemas, são cultivadas variedades de batatas-doces, feijões, aipins, morangas, abóboras, melancias, melões, plantas medicinais, além de espécies arbóreas que compõem pomares, cercas e revessas, importantes para a obtenção de madeira e frutos e para a proteção dos cultivos contra o frio, vento, ataque das criações e deriva de agrotóxicos. As trocas de saberes, mudas e alimentos fortalecem os laços de reciprocidade entre os parentes e seus ambientes e a histórica resistência das comunidades quilombolas.

Experiência
Chácaras Quilombolas do Limoeiro no Litoral do Rio Grande do Sul: resistência e agrobiodiversidade
Ano de publicação
2016
Última atualização
28/05/2018
Autoras/es
Relator/a
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.