O cultivo em roçado permanente e o manejo alimentar dos animais: a experiência da família de seu Sebastiãozinho e dona Josefa

Seu Sebastiãozinho e dona Josefa são casados e têm três filhos. Moram desde 1991 no assentamento Cancela do Brasão, em Sigefredo Pacheco (PI), em uma propriedade de 30 hectares. Após dois anos estabelecidos, começaram a construir um pequeno cercado, pois havia pouca madeira disponível no local. Em 1996, com incentivo do antigo PROCERA, conseguiram recursos para a construção da cerca e o preparo da área destinada ao plantio. A área foi preparada utilizando-se um trator esteira, que acabou comprometendo a fertilidade do solo, deixando-o quase improdutivo por um período de dois anos. Após observar experiências realizadas por agricultores e agricultoras assessorados pelo CEPAC, a família passou a fazer uso do esterco e da palha de carnaúba para adubar o solo. A produtividade aumentou consideravelmente, passando de 1600 para 5600 litros de milho, em uma área de quatro hectares. Com o uso da palha também foi possível controlar o mato. Há dois anos deixaram de fazer brocas e passaram a cultivar em roçado permanente, plantando milho e feijão. Para alimentar os animais, a família implantou um banco de proteínas, com leucena e feijão guandu. Constataram que após a criação desse banco os cabritos se desenvolveram muito melhor .

Experiência
O cultivo em roçado permanente e o manejo alimentar dos animais: a experiência da família de seu Sebastiãozinho e dona Josefa
Chamada
O cultivo em roçado permanente e o manejo alimentar dos animais
Ano de publicação
2000
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Área Temática
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.