AFAE - ASSOCIAÇÃO DAS FAMÍLIAS AGRICULTORAS DE ALFREDO WAGNER E BOM RETIRO

O trabalho com agroecologia iniciou através de uma turma de agricultores e agricultoras do Projeto de Formação Terra Solidária da Central Única dos Trabalhadores/Fetraf Sul e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alfredo Wagner. Desta turma de agricultores (as), por intermédio de um plano de ações ao final do curso, originou-se a formação de um grupo de produção agroecológica e a discussão da implementação de uma cooperativa de crédito (atual Cresol Alfredo Wagner) no município. Inicialmente foi constituído um grupo informal que abrangia pessoas das comunidades de Invernadinha, Rio do Engano e Barro Branco, agricultores convencionais de cebola que se encontravam com problemas de saúde devido ao uso de agrotóxicos e em situação financeira complicada pelos sucessivos endividamentos no banco. O grupo começou fazendo trabalhos com produção de sementes de milho crioulo, adubação verde, cobertura de solos, assim como produção de cebola. Estes trabalhos iniciais foram realizados de 1999 a 2001. A partir de 2001 através de um convênio com a Prefeitura Municipal de Alfredo Wagner iniciaram-se trabalhos mais efetivos com o grupo e uma dinâmica de reuniões mensais. A partir destas reuniões mensais o grupo acabou constituindo-se formalmente e incorporando famílias agricultoras do município vizinho, Bom Retiro. A associação atualmente possui 12 famílias das comunidades de Barbaquá, Alto da Limeira, Invernadinha e Rio Engano. A associação possui um forte envolvimento na Cooperativa Regional de comercialização (Cooperativa Ecológica Ecoserra) onde dois integrantes do grupo fizeram parte da gestão da Cooperativa entre os anos de 2006 e 2009, como presidente e secretário. Após está experiência na gestão da Cooperativa e com novos objetivos de descentralização da cooperativa, o grupo assumiu a administração de uma filial da Cooperativa Ecoserra na região, com a finalidade de fortalecer os processos de comercialização dos produtos agroecológicos das famílias agricultoras associadas. Desde 2005 o grupo já comercializou em torno de R$ 195.000,00 em compras governamentais como o Programa de Aquisição de Alimentos /PAA, Alimentação Escolar e mercados atacadistas de outras regiões como Florianópolis, Alto Vale do Itajaí, entre outros. Devido às múltiplas atividades do grupo, produção, organização, agroindústria e filial, as famílias estão se organizando na divisão dos trabalhos, sendo que, as mulheres ficaram com a responsabilidade de gerir a agroindústria e os homens a comercialização através da filial, ficando a produção sob a responsabilidade de todos os membros das famílias. A partir de 2006 a Associação conseguiu a autorização da Prefeitura de Alfredo Wagner para utilizar o terreno e as instalações de uma escola desativada há vários anos para dar vazão ao projeto de agroindustrialização de alimentos, principalmente para processamento de hortaliças. E como ensinamento deixam a mensagem de "entender que o solo é um ser vivo, e tratar ele como tal".

Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.