Identificação das condições para a produção apícola no Assentamento Roseli Nunes

A apicultura para áreas de reforma agrária se acentua como mais uma alternativa na geração de renda para as famílias. Além disso, é uma atividade que pode ser desenvolvida em pequenas áreas de forma cooperada e com bases ecológicas. Desta forma este trabalho teve como objetivo contribuir com a identificação das condições mínimas para o desenvolvimento da produção apícola no Assentamento Roseli Nunes, localizado no Município de Piraí, Estado do Rio de Janeiro, bem como organizar o coletivo de mel com base nos princípios da cooperação além de contribuir na discussão da produção animal e produção vegetal tendo como base os princípios agroecológicos. Para o desenvolvimento da experiência a ferramenta utilizada foi à metodologia da Pesquisa-ação, com intuito de que os Assentados pudessem participar de todos os passos das identificações e tomada de decisão no processo em construção. Com os trabalhos desenvolvidos no Assentamento fora possível organizar um calendário apícola a partir da identificação de 14 famílias e 25 espécies de plantas com interesse apícola. E a partir das identificações de conhecimentos prévios dos assentados as espécies de abelhas encontradas no assentamento foram: Apis mellifera (abelha européia), Xylocopa sp (mamangava) e as abelhas sem ferrão Tetragonesca angustula (jataí), Trigona spinipes (abelha cachorro), e Plebéia droyana (abelha mirim). A cooperação no Assentamento é algo aparente, e o grupo coletivo de mel vem assumindo papel de discutir com a comunidade a cooperação e também os princípios agroecológicos para que de fato a comunidade tenha condições de ter a Apicultura como uma alternativa de produção e geração de renda, e até por este tipo de produção não ser compatível em áreas que usam produtos químicos sintéticos, que contaminam os produtos gerados na produção apícola. Como o Assentamento ainda esta em fase de parcelamento a área para implantação do apiário inicialmente terá características de um apiário móvel. Algumas questões ficaram aparentes para serem mais desenvolvidas e debatidas com as famílias no Assentamento como: realizar a discussão sobre a segurança alimenta e efetivar a cada momento participação das mulheres que geralmente se excluem da atividade por temerem as abelhas, mas que durante as atividades no Assentamento tiveram uma participação efetiva em todos os momentos. A produção apícola também poderá contribuir nos debates da produção agrícola com os princípios da Agroecologia, além de fortalecer a cooperação, a preservação ambiental, e buscar recuperar as áreas de preservação ambiental que estão degradas, e isso pode ser orientado pelas espécies já identificadas no Assentamento. E no campo da produção há necessidade de discutir a Meliponicultura devido à quantidade de abelhas nativas encontradas no Assentamento e sua relação com a européia africanizada. Atualmente vem sendo discutido com as famílias e com o grupo coletivo de mel o acesso ao Programa Terra Sol para implantação de uma casa de mel com capacidade para atender ao Assentamento Roseli Nunes, e demais Assentamentos da Região, além de outros apicultores do município e da região.

Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.