Protagonismo Juvenil e Manejo da Palmeira Juçara em Comunidades Quilombolas

Esta experiência é fruto de uma articulação entre as comunidades quilombolas e instituições regionais que integram a execução dos projetos PDAs desenvolvidos na Costa Verde do Rio de Janeiro e Litoral Norte de São Paulo. A característica marcante desta experiência é seu enfoque na complementariedade e integração das ações regionais, visando reforçar e garantir a continuidade de ações no tempo futuro e o fortalecimento das organizações quilombolas na região. A estruturação desta experiência como um todo, está centrada no objetivo de desenvolver e estimular o protagonismo de jovens no processo de desenvolvimento de base sustentável e na promoção de intercâmbio cultural permanente entre 5 comunidades quilombolas nos municípios de Paraty e Angra dos Reis (RJ) e Ubatuba (SP). A partir da formação de equipes de agentes locais nas comunidade que passarão por um processo de capacitação continuada voltada ao resgate cultural, formação política, manejo florestal, manejo da Juçara, coleta de sementes florestais, viveirismo, agroecologia, agrofloresta e artesanato. A atuação dos jovens será o eixo de articulação entre comunidades e projetos PDAs na região tendo como principal enfoque a promoção do uso da palmeira juçara para produção de polpa alimentar e sementes visando reposição massiva desta espécie em áreas de floresta e em agroecossistemas, assim como, alternativa para consolidação da soberania alimentar. A viabilização de agentes locais possui um papel de relevância para fixação do jovem na comunidade; estimulo para valorização das relações com sua comunidade; promover a auto-estima destes como agentes de desenvolvimento e permitir a continuidade dos processos de organização comunitária, sucessão de lideranças e ações de desenvolvimento sustentável iniciadas pelos projetos na região. Uma das questões importantes que esta experiencia desempenha é de estabelecer um referencial ético comum para o produto polpa de juçara, incorporando uma dimensão social (étnica), ecológica e solidária, estimulando e constituindo uma base de princípios e valores que nortearão futuramente o processo de produção e comercialização direcionada para uma economia popular e solidária. Este projeto também visa desenvolver ferramentas que melhorem a comunicação entre quilombos e divulgação das ações e resultados visando também a sensibilização do grande público para os aspectos sócio-ambientais relacionados. As ações de monitoramento ocorrem de forma participativa sempre integrando os agentes locais, visando também fomentar pesquisas e produção de políticas públicas, a partir do envolvimento com a Rede Juçara, Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro e Movimento Quilombola. A experiência vem sendo desenvolvida pela Associação de Moradores do Campinho (AMOQC) e articulada com a realização dos projetos PDAs implementados pelo IPEMA, contando com uma rede de parcerias destacando-se: Associação dos Remanescentes de Quilombo de Santa Rira do Bracui (ARQUISABRA), Associação de Moradores do Cabral (AMC), Associação dos Remanescentes de Quilombo do Cambury (ARQC), Associação Comunidade Remanescentes do Quilombo da Fazenda (ACRQF) e Associação das Comunidades Remanescentes de quilombos do Rio de Janeiro (ACQUILERJ).

Experiência
Protagonismo Juvenil e Manejo da Palmeira Juçara em Comunidades Quilombolas
Chamada
Trabalho voltado ao fortalecimento da identidade quilombola e ao manejo agroflorestal da palmeira juçara
Ano de publicação
2009
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Anexo
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.