ASSOCIAÇÃO DOS HORTIFRUTIGRANJEIROS ORGÂNICOS DE BOA VISTA - HORTIVIDA

- No início do ano 2005 o Serviço Brasileiro de Apoio a Pequena e Média Empresa-SEBRAE Roraima com o auxílio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola-SEMDA de Boa Vista, selecionou agricultores com perfil que podessem estar realizando a conversão da agricultura convencional para a agroecológica. - Em seguida os parceiros institucionais que iriam participar do projeto como: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola-SEMDA, Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento-SEAAB,Serviço Brasileiro de Apoio a Pequena e Média Empresa SEBRAE Roraima, Fundação Estadual de Meio Ambiente Ciência e Tecnologia-FEMACT,Embrapa Roraima, Serviço Nacional de Aprendizado Rural,Universidade Federal de Roraima, Superindendencia Federal da Agricultura e SESCOOP definiram as ações a serem realizadas nos proximos três anos(2005, 2006 e 2007) AÇÕES REALIZADAS PELO SEBRAE E PARCEIROS JUNTO AO PÚBLICO ALVO. - Curso PRATICANDO ASSOCIATIVISMO - Missão técnica ao produtor orgânico certificado pelo IBD Sr. Toni Macuglia. - Curso JUNTO É FORTE - Curso DESPERTAR RURAL - Curso SABER EMPREENDER - Curso COMO VENDER MAIS E MELHOR módulo 1 PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS E EVENTOS - Participação na Bio Fair ( maio de 2005 São Paulo-SP ) - Participação na HORTITEC 2005 ( junho de 2005 em Holambra-SP) - Participação na Bio Fach-America Latina (NOVEMBRO DE 2005 no Rio de Janeiro), todos os eventos com a participação de pelo menos um agricultor como forma de troca de experiencia e incentivo à adesão ao sistema de produção agroecológico O ano de 2006 foi marcado pela continuação da transformação dos produtores que entraram num estagio de amadurecimento com relação às praticas orgânicas, a gestão associativa e nas articulações perante as instituições parceiras no sentido de pleitear a cessão de equipamentos, estruturas, enfim, a busca pela organização e consolidação da Associação Hortivida. O gestor do projeto continuou o trabalho consistente de consultorias e foram realizadas mais capacitações, que possibilitou passar ao grupo mais segurança no caminhar local da agricultura agroecológica, estreitar parcerias e difundir também junto na sociedade os benefícios de consumir alimentos produzidos sem o uso de agrotóxicos, seja através de uma feirinha implantada pelos produtores em um bairro nobre da cidade e ampla divulgação na mídia local através de jornais e revistas.Ainda nesse ano os agricultores articularam junto a Prefeitura Municipal de Boa Vista e Câmara dos Vereadores a mudança da Lei Orgânica do Município, que não permitia a realização de feiras no local pretendido e hoje consolidada a Feira de Produtos Orgânicos de Boa Vista. Em 2007 continuaram as consultorias e acompanhamento agronômico, visita a feiras e eventos voltados para o tema agroecologia, também se encerraria o acompanhamento do Serviço Brasileiro de Apoio a Pequena e Média Empresa . RESULTADO 1 Da meta inicial de transformar 22 (vinte e dois) produtores de hortaliças do sistema convencional para o sistema orgânico, o que representava 10% dos olericultores região de Boa Vista, permaneciam no projeto 14(quatorze) produtores no fim do ano de 2007. Podemos observar o espírito de associativismo que se instalou no grupo, que permaneceu unido em torno do objetivo procurando solucionar seus problemas conjuntamente. A eliminação de pulverizações com agrotóxicos nas lavouras, substituída agora por macerados de ervas, bio fertilizantes orgânicos e outros produtos permitidos no controle de pragas e doenças muitos deles produzidos pelos próprios agricultores e também adquirido no mercado local, possibilitando assim uma melhoria na saúde de todos envolvidos no processo produtivo de toda a família e colaboradores. Observações feitas pelo SEBRAE no inicio do projeto registrou um faturamento de R$ 340.380,00 na produção convencional e a pesquisa seguinte na produção ecológica o valor de R$ 325.151,00 no primeiro ano de atividade, considerando que na agricultura convencional o produtor tem que pagar por todo insumo utilizado, essa diminuição de receita não que dizer exatamente que o agricultor tenha diminuído o seu ganho final, uma vez que o mesmo passou a conhecer outras maneiras de utilizar os recursos de sua propriedade, deixando assim de comprar todo o insumo utilizado na sua produção, passando a produzir seus repelentes naturais, a utilizar restos industriais como cinzas, restos da industria arrozeira e serrarias da região promovendo assim utilização mais adequada desses materiais que acabariam sendo queimados e aumentando a emissão de gazes de efeito estufa. RESULTADO 2 Atualmente a Associação dos Hortifrutigranjeiros de Boa Vista -HORTIVIDA encontra-se operando com 06 (seis) associados que utilizam práticas agroecológicas e vem observando os demais agricultores que participaram inicialmente do projeto, embora menos comprometidos com o processo agroecológico, estão utilizando alguns procedimentos como compostos orgânicos, macerados de ervas, relatam ainda que estão pulverizando suas lavouras com produtos de baixa toxidade o que consideramos ser um ganho do ponto vista da saúde dos envolvidos no processo produtivo quanto aos consumidores de seus produtos, haja visto que antes de serem capacitados utilizavam agrotóxicos sem observar a carência para colheita e a recomendação, o que eliminasse com mais rapidez os insetos era o melhor. Parcerias importantes vem se concretizando podemos citar a realizada entre a HOTIVIDA e a EMBRAPA RORAIMA, que selecionou como unidade de observação dentro do seu projeto de agroecologia as propriedades dos Srs.Francisco Canindé da Silva Bessa, Sinji Tanabe e Jose Mendes Silva Filho. A Chácara Copaíba do associado Geoedvan S. Rocha recebe alunos do curso de técnica agrícola da Escola Indígena Raposa Serra do Sol, para serem treinados em agricultura orgânica. Por ultimo a Hortivida firmou parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento para a implantação de uma horta orgânica no pátio do Parque de Exposição Agropecuária de Roraima, como forma de divulgar praticas agroecológicas.