AGROECOLOGIA: PRÁTICA QUE CONSIDERA A VIDA

A experiência vem sendo desenvolvida na área experimental do Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS, localizada na zona rural do município de Maturéia, estado da Paraíba e, é acompanhada pelo agricultor experimentador José de Anchieta Alves. O antigo proprietário cultivava bata doce, utilizando técnicas inadequadas e o uso indiscriminado de adubos e agrotóxicos. Quando a propriedade foi adquirida o solo apresentava-se totalmente descoberto. A experiência busca sensibilizar agricultores e agricultoras familiares da região e de outras localidades do semiárido para o desenvolvimento de práticas agrícolas que considerem como importante manter o equilíbrio do ecossistema. A área trabalhada mede em trono de 3ha. Nela são cultivadas as seguintes culturas: milho, feijão, fava, macaxeira, pinha, goiaba, manga, caju, acerola, laranja, graviola e mamão. Em torno da área foi plantada a espécie florestal sabiá para formar uma cerca viva. Também, junto com as frutíferas foram plantadas algumas espécies vegetais como: aroeira, moringa e ipê. Aos poucos algumas espécies nativas, também, têm sido recuperadas através de rebrotas. Para evitar processos de erosão, nas partes inclinadas do terreno, vem se plantando capim, constituindo-se faixas de retenção.