Cultivo e manipulação de plantas medicinais na comunidade urbana da Vila do Pinheiro, Complexo da Maré. A experiência da sala comunitária Semente da Vida.

Tudo se iniciou em 1992, quando um grupo de mulheres ligadas à Pastoral da Saúde foi buscar em cursos e encontros uma alternativa de trabalho comunitário relacionado à saúde. Todas as participantes do grupo já tinham experiências anteriores na relação com as plantas medicinais: eram filhas ou conhecidas de raizeiras, benzedeiras ou já tinham tido experiências de cura através das plantas e da medicina caseira. Todas elas vinham de zonas rurais e também possuíam experiências de roçado. Ao se juntarem na Igreja para desenvolverem um trabalho social voluntário, resgataram os seus conhecimentos antigos e aprendem novas formas de manipular as plantas. Conseguiram então um espaço na Igreja, onde até hoje cultivam as ervas e preparam os remédios caseiros. Atualmente, com mais de dez anos de trabalho, o grupo, batizado de “Semente da Vida”, vem trocando experiências com diversos outros grupos comunitários que trabalham com plantas medicinais. Conseguiram reunir um grande número de plantas e conhecimentos e tem propagado o saber, que para elas tem um forte valor cultural. Todo o dia é possível chegar no Centro Comunitário na Favela da Maré e encontrar as mulheres mexendo na horta, colhendo plantas, secando-as, ou preparando remédios. Se convidadas para participar de atividades fora da comunidade, vão com o maior prazer, pois têm consciência que é dessa maneira, trocando experiências, que aprendem mais e podem também ensinar aquilo que sabem, ajudando assim a manter vivo o conhecimento sobre as plantas medicinais.

Experiência
Cultivo e manipulação de plantas medicinais na comunidade urbana da Vila do Pinheiro, Complexo da Maré. A experiência da sala comunitária Semente da Vida.
Chamada
Iniciativa de mulheres abordando os temas da saúde, plantas medicinais e agricultura urbana
Ano de publicação
2009
Última atualização
28/05/2018
Autoras/es
Relator/a
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.