Plantas da Caatinga para a criação

Na comunidade de Pitombas em Campo Alegre de Lourdes, Bahia moram 17 famílias que vivem principalmente da criação de caprinos, do plantio de milho e feijão e do uso de produtos da caatinga. Alguns desses agricultores formaram um grupo que se responsabiliza para cuidar do experimento de manejo de caatinga que fica na propriedade do João Pereira Neto e da Osmarina Pereira. Um dos maiores problemas para a criação animal no sertão é a falta de pastagem durante o período seco do ano. O grupo está experimentando um jeito de formar pastagem sem precisar queimar as plantas da caatinga. Eles cortam baixo algumas plantas forrageiras como Jurema e quebra facão. Essas plantas rebrotam do tronco e ficam com as folhas verdes por mais tempo e ao alcance das cabras e das ovelhas. Outras plantas como aroeira, angico de bezerro e espinheiro devem permanecer em pé para soltar as folhas para a criação durante a seca. Nos claros que se abrem na caatinga manejada nascem muitas plantas pequenas como feijão brabo, jitirana, coça-coça e outras. Em reuniões, os agricultores e agricultoras da comunidade de Pitombas foram registrando seus conhecimentos sobre as plantas forrageiras nativas da área manejada e de uma área vizinha pastejada pelas ovelhas. Construíram uma cartilha com o acúmulo do conhecimento sobre essas plantas.

Experiência
Plantas da Caatinga para a criação
Chamada
Uso de plantas da caatinga como forrageira
Ano de publicação
2003
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relatoras/es
Área Temática
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.