Manejo de caatinga: o conhecimento dos agricultores familiares

Os agricultores familiares da Comunidade de Pitombas em Campo Alegre de Lourdes, Bahia estão testando uma forma de melhorar a pastagem sem precisar queimar as plantas e a terra. É o manejo de caatinga na propriedade da família do João e da Marina que é acompanhado por um grupo de agricultores formado por oito famílias de Pitombas. Primeiro eles retiram as plantas que não são boas forrageiras e que estão em grande quantidade na área. Depois eles rebaixam aquelas que são boas forrageiras. Essas plantas são os arbustos como o moleque duro, o quebra facão, a carqueija, a jurema preta mais fina e outras. A madeira é toda aproveitada. As mais grossas e linheiras dão as estacas e estacotes para a cerca. E a madeira mais fina e torta serve para lenha de fogão. O garrancho fica espalhado mesmo pelo terreno para virar adubo no solo e deixar a terra forte. A área de manejo tem que ficar aberta, mas não totalmente desmatada. É muito importante que deixem todas as árvores grandes da área, pois elas vão dar a forragem para as criações na época seca do ano. Árvores como espinheiro, catingueira, aroeira, juazeiro, imbuzeiro, pau d'arco, imbiratanha, imburana de abelha e outras ficam de pé.

Experiência
Manejo de caatinga: o conhecimento dos agricultores familiares
Chamada
Manejo de caatinga: um jeito de fazer pasto sem queimar as plantas
Ano de publicação
2003
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.