MANEJANDO E CAMINHANDO COM A BANANEIRA PELO CAFEZAL

Sebastião de Zim, como é conhecido, vive na Comunidade de Santa Cruz em Araponga/MG. Filho de Dona Rita e Sr. João Brás dos Santos (o Sô “Zim”). Sebastião tem 9 irmãos, sendo 6 homens e 3 mulheres. Ele mora com suas duas filhas Géssica (15 anos) e Joyce (13 anos), é nascido e criado na comunidade e no ano de 2000 se mudou da casa de seus pais para sua casa atual, vizinha à propriedade de seu pai e do seu irmão. Sebastião nos contou um pouco do que sabe da história de sua família e da comunidade. O plantio da bananeira começou por volta de 1995. O objetivo inicial era o retorno financeiro e também o fortalecimento do solo. Isso porque era uma terra muito dura. Chegava ao ponto que abaixo de 20 cm, batia a enxada e tremia todo o cabo da enxada, até a mão. Segundo Sebastião a bananeira serve para melhorar a estrutura do solo, ficar mais drenado absorver melhor a água, melhorar a produção. Ele acredita que a bananeira consorciada com o café fornece sombra, melhora a qualidade do solo, pois aumenta a matéria orgânica e mantém a umidade do solo, diversifica a renda e melhora a alimentação da família e dos animais. Com a banana ele alimenta os porcos, as vacas e as galinhas e os animais silvestres. Além destas vantagens, Sebastião aponta outras vantagens de plantar banana com o café: a atração de insetos e pássaros que podem controlar doenças e pragas no cafezal. Outra grande vantagem é que melhora a qualidade do café e reduz a quebra de peso, isto porque há melhor formação de grãos e estes ficam mais uniformes. Ou seja, o café “grana” melhor e há menor “quebra” do peso no momento da limpeza (beneficiamento) do café.