DONA DENIRA, SEU NORIVAL E GISADRIELLE: COLHENDO O SOL COM A PROTEÇÃO DE DEUS E O OLHAR DAS ESTRELAS

Há pouco mais de oito anos a família adquiriu a terra, depois de uma vida inteira trabalhando como meeiros de café. No passado conseguiram economizar para comprar um pedaço de terra, mas com o confisco da poupança do Governo Collor lá se foi a economia e o sonho da compra da terra. Economizaram novamente, ainda trabalhando como meeiros e conseguiram comprar um alqueire. Desta vez tiveram mais sorte com Governo Federal, na propriedade construíram uma casa pelo Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). Toda propriedade era coberta por braquiária. Iniciaram plantando café em uma pequena área, mas apenas no final de 2011, após construírem e mudarem para a propriedade é que começaram a diversificação dos plantios. Nesses últimos quatro anos construíram uma exuberante diversificação! Junto ao plantio de café tem ingá, bananeiras, abacateiro, ipê, goiabeira, amoreira, mandioca, laranjeira, inhame, cará roxa, mamão, etc. A família ainda cuida de um diversificado pomar e horta. A fé está presente no cotidiano da família e na lida com a roça. Um exemplo disso é que no dia de Santa Bárbara, dia 04 de dezembro, Seu Norival faz uma grande cruz de bambu e coloca no meio dos plantios, para protegê-los dos ventos, raios e trovão em dias de temporais. No cair da noite, as estrelas iluminam essa terra abençoada. Dona Denira nomeia as estrelas como aprendeu com sua avó. A constelação de Órion recebe o nome de Capela do Céu, parte da constelação de touro é conhecida como o Manto de Nossa Senhora e as plêiades recebem o nome de Sete Marias. Um antigo ditado chinês diz que a agricultura é a arte de colher o sol. Dona Denira, Seu Norival e Gisadrielle colhem o sol com a proteção de Deus e o olhar das estrelas.