A experiência de Manuel Alves de Farias

Manuel Alves de Farias é agricultor e mora com sua família na comunidade de Santa Fé, município de Cacimbas (PB). Desenvolve na propriedade uma experiência com o sisal, planta que ajuda a evitar a erosão do solo e fixar nutrientes, além de ter aumentado em três vezes a capacidade de produção da propriedade. As raízes do sisal, ao se desenvolverem, penetram e se espalham no solo, segurando as partículas e fazendo com que não sejam carreadas pelo vento ou chuvas. Além disso, as folhas, brotos e troncos que se acumulam sobre o solo formam uma camada de matéria orgânica que é também uma importante fonte de nutrientes. O bagaço que sobra do beneficiamento é usado na adubação de outras culturas, considerado um adubo orgânico de ótima qualidade. A primeira colheita do sisal é feita três anos após o plantio e sua vida útil é bastante longa. Seu Manuel consorcia o sisal com o camuzé, leguminosa utilizada na nutrição de caprinos e bovinos, bastante resistente à seca. Metade da propriedade é destinada ao plantio do sisal e na outra metade são cultivadas espécies de hortaliças, leguminosas, frutíferas e cereais. O agricultor também faz rotação de culturas: a cada seis anos planta milho onde era cultivado o sisal, alternando as áreas. Em um inverno regular, seu Manuel chega a produzir 3000 quilos de milho em um hectare. Ele tem difundido sua experiência pela comunidade de Santa Fé e também nas comunidades vizinhas, sendo bem recebido pelos agricultores da região.

Experiência
A experiência de Manuel Alves de Farias
Chamada
O cultivo do Sisal e a conservação do solo
Ano de publicação
2000
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relatoras/es
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.