Quintais Agroflorestais no semiárido baiano: A necessidade de resgatar conhecimentos tradicionais

Este trabalho teve como objetivo avaliar o uso da terra e práticas agroecológicas em unidades de produção familiar (UPF), nas quais serão implantados Quintais Agroflorestais, localizadas no Território Piemonte Norte do Itapicuru, semiárido baiano. Foi possível observar que a presença masculina ainda é predominante em atividades agrícolas, embora a mulher desempenhe papel essencial no cuidado, beneficiamento e venda dos produtos agrícolas. O grau de escolaridade está dentro do esperado para produtores que desempenham atividade basicamente agrícola. Quanto ao uso da terra, nota-se que, embora preservem o costume do quintal próximo às casas ainda utilizam práticas convencionais nas áreas de produção. As áreas de mata são representadas por aquelas exigidas em lei, mas não é vista como uma fonte de equilíbrio ambiental dentro da unidade de produção. As práticas agroecológicas são inseridas de forma isoladas e pontuais, sem nenhuma conexão com o ambiente como um todo. Conclui-se que se faz necessário o resgate de práticas tradicionais, seja em casa, dos pais para os filhos, seja na escola, na contextualização e no estimulo para a convivência com o semiárido.

Experiência
Quintais Agroflorestais no semiárido baiano: A necessidade de resgatar conhecimentos tradicionais
Ano de publicação
2013
Última atualização
17/04/2018
Autor/a
Relator/a
Anexos
Área Temática
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.