Panelas de Capim: Educação em Agroecologia e Alimentação Viva

Panelas de Capim é um empreendimento de Educação em Agroecologia e Alimentação Viva que promove a vida simples como meio de re-generação dos ecossistemas internos e externos. O nome Panelas de Capim é uma alusão às áreas de florestas suprimidas em busca de re-generação. Esta metáfora simboliza também a atual crise ecológica nas relações humanas e sociais. Traduz, portanto, o sopro de vida necessário para retornar ao equilíbrio original, com criatividade! Atuamos no âmbito das 3 ecologias: interior, social e ambiental. Nossa função é disseminar valores como auto-cuidado, amorosidade e agroecologia através da cultura provocada pelo estilo de vida agroecológico na promoção da saúde. Divulgamos a Alimentação Viva para a ampliação do conceito de alimento. Consideramos que nos alimentamos também do contato com ambientes saudáveis, terra, sol, água e ar. Concebemos que nos alimentamos das conexões estabelecidas em um mundo vivo e dinâmico. Nossas atividades são baseadas em um modelo de agricultura conectado com os princípios de um planeta vivo. Este trabalho é motivado pela consciência de que o respeito à terra e ao equilíbrio da vida deve estar presente em todas as relações de produção/consumo dos alimentos que consumimos, da água que bebemos e das paisagens onde transitamos. Para isso, Criamos espaços vivos de aprendizagem onde comunicamos possibilidades de viver com saúde: horta orgânica, jardins comestíveis, jardins medicinais, sistemas agroflorestais, laboratório de homeopatia rural, banco de sementes e cruzinha - a cozinha que não cozinha nada (alimentação viva). Na Alimentação Viva, priorizamos a vitalidade dos vegetais através das pesquisas com produtos agroecológicos, sempre dispensado o uso do fogão e da geladeira. Apresentamos a culinária viva brasileira, baseada no consumo de sementes germinadas, brotos e vegetais crus, que combina vitalidade com biodiversidade local, nativa e domesticada. Temos, ainda, uma pesquisa continuada de fermentação e desidratação de alimentos, inclusive como forma de resgate da cultura alimentar tradicional e aproveitamento dos excedentes em colheitas. Desenvolvemos, também, pesquisas com criação e manipulação de preparados homeopáticos para fertilização do solo, além de aplicar o uso da radiestesia na agricultura. Queremos criar um Centro de Agroecologia na Promoção da Saúde para divulgar a construção destas experiências através de Estágios, Cursos, Oficinas, Imersões e Grupos de Estudos orientados ao público em geral.