Horta Agroecológica na Zona da Mata: No assentamento Amaraji a família de Zé Rosa tem renda e alimentos saudáveis com hortaliças

Em uma parcela de apenas 9,65 hectares de terra a família do agricultor Zé Rosa trabalha com hortaliças e agricultura agroflorestal. Atividades que garantem renda e alimentos saudáveis para o grupo familiar que mora no assentamento Amaraji, em Rio Formoso, Zona da Mata Sul de Pernambuco desde 1998. Há três anos que o Centro Sabiá assessora agricultores e agricultoras do assentamento. A família de Zé Rosa é composta por mais de dez pessoas, entre adultos, jovens e crianças. O trabalho com o plantio de verduras e legumes é realizado pelos adultos e jovens. Os canteiros são organizados em consórcio com outras espécies como bananeiras, coqueiros, feijão-guandu e ervas medicinais. A produção é agroecológica para garantir a qualidade dos produtos e proteger a terra. O plantio de hortaliças e a produção agrícola diversificada contribuem para geração de renda, porque a família já comercializa. Com a prática da agrofloresta, jeito de trabalhar a terra misturando diversas espécies desde pés de frutas e plantas nativas, a cultivo de culturas anuais como milho, feijão, macaxeira entre outros, a produção aumenta a cada dia. Acesso às políticas públicas A família de seu Zé Rosa sente a necessidade de ampliar seu acesso às políticas públicas para a agricultura familiar. Eles acessaram parcialmente o crédito habitação, com o qual construíram a casa no assentamento. E conseguiram acessar acredito apenas mais uma vez, no ano de 2003, através do Programa Nacional e Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), tipo A, quando diversificaram a área com plantio de coqueiro, manga, limão, macaxeira, inhame e feijão. Nesse mesmo período, a família contou com os serviços de assistência técnica do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), apoio não mais recebido além desse momento. Para comercializar é preciso planejar Grande parte do que a família produz é comercializada na feria livre e na feria da agricultura familiar, no município de Rio Formoso. A produção, entretanto, ainda não é suficiente para atender a procura dos consumidores e das consumidoras. “Para garantir uma boa quantidade de hortaliças toda feira, a gente precisava ter, pelo menos, 112 canteiros”, afirma Zé Rosa. Atualmente eles têm 67 canteiros de hortaliças. De acordo com o agricultor, para que não falte o produto que comercializa toda semana, é necessário planejar bem o plantio dos canteiros. É preciso plantar um a cada sete dias, já que são necessárias sete semanas para que a semente plantada nasça, cresça e a hortaliça fique em ponto de colher. “Quando a gente colhe um canteiro, já tem que fazer logo o plantio, para poder manter a regularidade da produção”, explica Zé. Um desafio que a família tem procurado enfrentar é sair da dependência do uso de insumos externos. Para adubar os canteiros é usado o esterco do gado, que é comprado em outro município. Ainda se compra a torta de mamona, um adubo foliar orgânico industrializado e as sementes. Tentar produzir as próprias sementes e organizar a propriedade de forma que não seja necessário comprar tantas coisas fora já faz parte das idéias de melhorias que a família pretende organizar. Alimentos de boa qualidade e quantidade A família de Zé Rosa tem alimentos saudáveis produzidos no próprio sítio e em quantidade necessária, além de diversas variedades. Por isso pode-se afirmar que ela tem segurança alimentar e nutricional. Além das verduras, legumes, frutas e raízes, o agricultor cria galinhas para ter ovos e carne para o consumo da casa. O alimento das aves é garantido com os restos gerados pelos trato das hortaliças e verduras, assim como com os restos de frutas e grãos produzidos na propriedade

Experiência
Horta Agroecológica na Zona da Mata: No assentamento Amaraji a família de Zé Rosa tem renda e alimentos saudáveis com hortaliças
Chamada
No assentamento Amaraji a família de Zé Rosa tem renda e alimentos saudáveis com hortaliças.
Ano de publicação
2011
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Anexos
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.