Feira de Produtores/as Agroecológicos de Sirinhaém- FEPAS

Na Zona da Mata de Pernambuco, a Feira dos Produtores Agroecológicos de Sirinhaém (FEPAS), é uma das pioneiras da região. Já são nove anos de existência, onde todas as sextas e sábados, 17 famílias dos assentamentos Santo Elias, Conceição e Taquari comercializam sua produção agroecológica. As barracas são armadas a partir das cinco horas da manhã, em frente ao antigo mercado público de Sirinhaém. E as famílias avaliam que o espaço agroecológico está localizado num local estratégico, pois fica no centro comercial da cidade. A organização do grupo Para manter a organização das famílias que comercializam, formou-se um grupo de três pessoas: um coordenador, uma secretária e uma tesoureira, que se responsabilizam pela organização da feira. Mas o papel de manter o funcionamento dela é de todos e todas agricultoras que comercializam. Consumidores e consumidoras encontram no local produto saudáveis, acolhimento, amizade. É o que afirma a consumidora Maria Elza da Silva, “na feira eu encontro alimentos saudáveis e não é só isso. Aqui é um local de grande fraternidade e de dividir sentimentos”. No começo as dificuldades foram grandes, mas a vontade de comercializar os produtos era maior. “No inicio não tínhamos nem barracas. Os nossos produtos eram colocados no chão forrado com uma lona. Mas não queríamos desistir, tomamos gosto pela comercialização”, lembra a agricultora e tesoureira da FEPAS, Cristina. Para adquirir as primeiras barracas, os agricultores e as agricultoras se organizarem e criaram um fundo rotativo. A maioria dos agricultores que comercializa na FEPAS participa de espaços de articulação política, como o Conselho Municipal de Sirinhaém, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, as Associações de Comunidades e a Rede de Agroecologia da Mata Atlântica - RAMA. Esses têm sido espaços importantes para o fortalecimento da organização dos/as agricultores/as. Em 2003, com a assessoria do Centro Sabiá, foram realizadas oficinas, cursos e intercâmbios contribuíram para o fortalecimento da feira. Além disso, as famílias assessoradas foram investindo mais na produção com os Sistemas Agroflroestais (SAFs), diversificando as plantas em uma única área de terra, numa espécie de consórcio, aumentando a produção e contribuindo para a fertilização do solo. Hoje, na feira de Sirinhaém o consumidor e a consumidora já encontra mais de 50 tipos de produtos. Uma diversidade de frutas frescas e polpas para sucos, além de outros beneficiados como doces, geléia, tapioca, manuê, cocorote, queijadinha, massa de mandioca, pão de macaxeira, passa de caju entre outros. Acesso às Políticas Públicas Todos os agricultores que comercializam na feira agroecológica possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP. E o acesso às políticas de crédito melhorou a partir de 2010. A maioria acessou o Pronaf para investir em atividades produtivas diversas. Em 2011 muitos dos agricultores da FEPAS estão acessando o Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Uma das dificuldades que os agricultores enfrentam para acessar os programas de auxilio à comercialização é a falta de conhecimento sobre o funcionamento dos programas e políticas. O apoio público aos agricultores/as da FEPAS para comercializar os produtos, tem sido bem pontual, através de contribuições com o transporte dos produtos dado pela prefeitura, pra escoar a produção até o local de comercialização.

Experiência
Feira de Produtores/as Agroecológicos de Sirinhaém- FEPAS
Chamada
A experiência de comercialização agroecológica na Feira de Produtores/as Agroecológicos de Sirinhaém- FEPAS
Ano de publicação
2011
Última atualização
17/04/2018
Autoras/es
Relator/a
Anexos
Áreas Temáticas
Áreas Geográficas
Comentários
Ainda não há comentários sobre esta experiência.